Ministro: Turismo sofreu com “falta de vontade política”

[Por Panrotas, 21/10/2016]
Empossado no último dia 5, ou seja, há 16 dias, o ministro do Turismo Marx Beltrão não creditou os números negativos do setor somente à instabilidade econômica que assola o País. “O principal gargalo do Turismo foi a falta de vontade política, e isso não acontecerá no meu mandato. Eu garanto”, criticou, durante o Festival de Turismo de João Pessoa – terceiro evento ligado ao trade turístico que ele participa.
A principal proposta de Beltrão para reverter o caso (e não transformar a crítica em mais um discurso aleatório) é aliar a iniciativa pública à privada para criar um terreno fértil para o desenvolvimento da indústria.
“Precisamos pensar o Turismo de uma forma diferente. É claro que é necessário valorizar cultura e belezas naturais, mas não podemos esquecer de integrar a sociedade”, argumentou em sua primeira fala em solo nordestino. “E isso se faz com infraestrutura de qualidade, garantia de saneamento básico, urbanização, iluminação, segurança, profissionalização e, claro, minimizando a burocracia da máquina pública”, completou.
Segundo o ministro, é a partir dessa integração social que a captação de turistas brasileiros e estrangeiros será efetiva, ainda mais depois de um período de grandes eventos. “Temos legado de imagem e, agora, precisamos convertê-lo em empregos e renda. Uma cidade como Cancun (México) arrecada mais com o Turismo do que dos os Estados Brasileiros juntos. Isso precisa mudar. Temos que mostrar como o Brasil e o Nordeste é grande”, incentivou.
INVESTIMENTOS
Falando diretamente sobre a Paraíba, Beltrão destacou obras e investimentos previstos para o Estado. Os números apresentados pelo ministro indicam que a região possui atualmente 64 obras em andamento, na ordem de R$ 7 bilhões. Em contra partida, 97 estão paralisadas e 63 esperam aval do governo para iniciar.
“As obras que estão paralisadas ou que ainda não saíram do papel vão começar a andar”, garantiu. “E além do investimento aplicado direto pelo ministério, teremos mais recursos vindos do governo federal em breve.”
Em relação aos investimentos futuros, Marx Beltrão sinalizou projetos ligados à conectividade aérea e à modernização do aeroporto de João Pessoa. “O Nordeste ainda sofre com a carência de malha aérea. Temos mais leitos do que aviões pousando. São poucas opções de horário e preços pouco competitivos”, afirmou. “Queremos melhorar a conectividade e trazer mais recurso para o aeroporto. Essa demanda (aeroportuária) é responsabilidade do Ministério dos Transportes, mas já conversei com o ministro da pasta e ele me garantiu que investimentos serão anunciados”, pontuou, destacando ainda a necessidade de atrair mais navios para a costa brasileira.
TECNOLOGIA
A economia compartilhada também foi citada, e apoiada, pelo ministro. “É papel dos profissionais e empresário do Turismo se adaptarem às novas tecnologias, como o Airbnb, e reagir a cada uma delas oferecendo um serviço melhor para o turista.”