Turismo de negócios é debatido no Empreende Brazil Conference

A importância do segmento MICE (em português: Encontro, Incentivo, Conferência e Feira) para Santa Catarina foi o tema principal debatido pela consultora internacional de turismo Vaniza Schuler, durante o Empreende Brazil Conference – evento realizado nesta quinta-feira, dia 25, no Espaço Floripa. A mesa foi composta também por representantes da ABEOC Brasil-SC, Floripa Convention, Abrasel, ABIH, ABAV e Eventpool.
Durante a palestra, a consultora Vaniza deixou claro que o turista de negócios tem objetivos e prioridades diferentes em relação ao turista de lazer. “O turista de negócios não escolhe a cidade na qual vai estar. Porém, ele tem necessidades básicas que precisam ser atendidas, como transporte, wi-fi, room service no hotel, entre muitas outras”, destaca. A consultora afirmou que Florianópolis é uma cidade com apelo natural e turístico, mas que precisa apresentar produtos inovadores e diferenciados para atrair ainda mais como destino.
O presidente do Floripa Convention, Marco Aurélio Floriani comentou que todas as entidades voltadas ao turismo estão investindo em capacitação para que as empresas saibam receber turistas o ano inteiro e diferenciar este visitante.
“Para profissionais qualificados, as empresas sempre têm vagas abertas”, afirma Floriani. O bate-papo ainda foi enriquecido com considerações da diretora da ABEOC/SC, Carina Guzzi; do presidente da ABIH/SC, Samuel Koch; do presidente da Abrasel/SC, Fabio Queiroz; e Jo Cintra, representante da Eventpool em Santa Catarina
Negócios
Conforme pesquisa divulgada pela consultora Vaniza Schuler, 70% dos turistas de negócios são homens e 30% são mulheres. Os cinco principais itens que são valorizados por este turista em um hotel são: cama, wi-fi, silêncio para poder descansar, boa iluminação, tomadas disponíveis e um bom chuveiro. Além disso, este público é preocupado com a segurança, a distância que ele precisará percorrer do hotel até o local do encontro/congresso, acessibilidade, entre outros.

A ABEOC/SC divulgou – com base em uma pesquisa nacional – que o Brasil realiza 590 mil eventos por ano, 95% destes são nacionais. Em 12 anos, o movimento financeiro do mercado de eventos saltou de R$ 37 bilhões para R$ 207 bilhões. Hoje, 4,32% do PIB do Brasil (Produto Interno Bruto) são arrecadados com este segmento. “O turismo de eventos veio para quebrar a sazonalidade de algumas regiões”, enfatiza Carina Guzzi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *