Galeão deve receber, até 2016, R$ 2 bilhões para conclusão das obras

[Por Mercado e Eventos, 14/05/2015]
O aeroporto Internacional do Galeão vai receber R$ 1,6 bilhão referente a um empréstimo do BNDES para conclusão das obras de ampliação. O empréstimo de longo prazo do BNDES para a Rio Galeão, concessionária que tem como sócios Odebrecht, Infraero e Changi, de Cingapura, está em fase final de detalhamento. O crédito será da ordem de R$ 1,6 bilhão, e a expectativa é que o desembolso comece no fim do ano, segundo a Rio Galeão. Além do empréstimo, a concessionária pretende emitir mais R$ 400 milhões em debêntures (títulos de dívida de empresas para captar recursos do mercado), operação da qual o BNDES poderá participar. O crédito será usado em melhorias de infraestrutura do aeroporto.
As condições financeiras do crédito estão em análise na área técnica do banco, informou o BNDES, mas já está definido que a concessionária terá 20 anos para pagar — o prazo de concessão é de 25 anos. Segundo o BNDES, ao receber a primeira parcela do crédito de longo prazo, a Rio Galeão terá de quitar o empréstimo-ponte de R$ 1,1 bilhão, aprovado em agosto de 2014.
Desde 2012, quando o BNDES iniciou o apoio financeiro a aeroportos privatizados, foram aprovados R$ 7,8 bilhões para São Gonçalo do Amarante (RN), Guarulhos (SP), Viracopos (Campinas), Brasília e Galeão. A conta inclui o empréstimo-ponte liberado para o aeroporto carioca. O banco analisa ainda o pedido de crédito da BH Airport, concessionária de Confins (MG).
Além do empréstimo de longo prazo, as concessionárias têm apoio do BNDES na emissão de debêntures. No caso de Guarulhos, além dos R$ 3,4 bilhões concedidos pelo banco, a BNDESPar, braço da instituição que atua no mercado de capitais, adquiriu R$ 100 milhões dos R$ 300 milhões emitidos. Na operação liderada por Viracopos, a BNDESPar comprou a totalidade dos R$ 300 milhões em títulos.
A primeira leva de obras para a qual o Galeão já vem usando recursos do BNDES incluiu a ampliação do estacionamento, reforma do terminal 2 e construção do chamado píer — estrutura em que haverá 26 pontes de embarque, ampliando a possibilidade de embarque e desembarque simultâneo. Hoje são 33 pontes. A promessa da concessionária é que o pacote de obras estará pronto até abril de 2016.
A Rio Galeão informou que deve assumir obras avaliadas em R$ 130 milhões que são de responsabilidade da Infraero, porque a estatal está com dificuldades para executá-las. As obras incluem a troca de escadas rolantes, esteiras e reformas no terminal de passageiros. Algumas estão atrasadas em pelo menos um ano e meio.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *