A 17 meses da Copa, sete obras de aeroportos ainda não começaram

[Por Portal 2014, 14/01/2013]
Porto Alegre é a sede mais atrasada, com um projeto excluído e outro na fase de projetos
País-sede da Copa do Mundo 2014 há 62 meses, o Brasil ainda tropeça nos projetos dos 13 aeroportos que serão utilizados durante a competição. A apenas 17 meses do evento, sete obras previstas pelo governo ainda não começaram.
Uma delas, a ampliação da pista de pouso e decolagem do aeroporto de Porto Alegre, foi recentemente excluída da lista dos 30 projetos aeroportuários que mostra a nova Matriz de Responsabilidades, divulgada pelo Ministério do Esporte no final de 2012.
Das obras não iniciadas, apenas uma está na fase de projetos: também na capital gaúcha, relativa à reforma e ampliação do terminal de passageiros do aeroporto Salgado Filho. Cinco estão com o processo licitatório em andamento: duas obras de Confins (Belo Horizonte), além de um projeto em Curitiba, Recife e Salvador cada.
Nesta semana, a Infraero homologou a licitação para a ampliação da pista e no sistema de pátio do aeroporto de Confins, no valor de R$ 199 milhões. O mesmo procedimento ocorreu em relação às obras do terminal do aeroporto Dep. Luís Eduardo Magalhães, em Salvador.
Já nas capitais do Paraná e de Pernambuco os processos estão praticamente concluídos. Em Curitiba ocorrerá a ampliação do terminal de passageiros e do sistema viário, enquanto no Recife será construída uma nova torre de controle.
As obras, segundo o cronograma divulgado pela Infraero em março de 2010, teriam início em abril de 2010 e maio de 2011, respectivamente. Em Porto Alegre, os trabalhos no aeroporto serão concluídos apenas em maio de 2014, a um mês da Copa do Mundo.
Em andamento
Dos 30 projetos de construção e/ou reforma de aeroportos para o Mundial, 14 estão em andamento. Ao todo, são oito terminais em obras: Belo Horizonte, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Natal, Rio de Janeiro e São Paulo (Cumbica e Viracopos). No caso do Rio, os dois terminais do aeroporto do Galeão estão em reforma.
Mais nove obras foram concluídas pela Infraero, com quatro MOPs (Módulo Operacional Provisório): em Brasília, Cuiabá, Porto Alegre e São Paulo (Viracopos). Na capital federal, a estatal finalizou a reforma no corpo central do aeroporto Juscelino Kubitschek. Em Curitiba, foram concluídos os trabalhos na pista de pouso e decolagem.
Em Cumbica, a Infraero concluiu a ampliação do sistema de pistas, além da implantação do terminal de passageiros 4 e a terraplanagem do terminal de passageiros 3. O aeroporto paulista, assim como o Juscelino Kubitschek e Viracopos, foi concedido à iniciativa privada. Nos três casos, os consórcios vencedores do leilão estão à frente das obras do terminais.
No total, os 13 aeroportos da Copa receberão investimento de R$ 6,8 bilhões, sendo R$ 3,16 bilhões da Infraero e R$ 3,64 bilhões da iniciativa privada.

1 thought on “A 17 meses da Copa, sete obras de aeroportos ainda não começaram”

  1. Recomendo leitura da matéria no Estadão que classifica como obra de fccção o planejamento das obras da Copa do Mundo. Das 82 programadas apenas 2 encontram-se com cronograma e gastos sob controle. Preocupante.

Os comentários estão fechados.