Eventos Brasil surpreende participantes com alto nível de conteúdo

[Revista Eventos, 08/12/2014]
A satisfação dos congressistas que vieram de 20 estados brasileiros mais Distrito Federal era evidente no último dia do 26º Congresso Brasileiro de Empresas e Profissionais de Eventos, realizado nos dias 7 e 8 de dezembro, no Centro de Convenções Rebouças.
Além do vigor dos convidados, os temas da palestras e painéis foram ao encontro das necessidades e fragilidades do setor que, contrariando o baixo crescimento do PIB, deve crescer 14% em 2014 e 2015.
“Foram dois dias de intenso networking, que motivou muitos negócios, além da própria rodada de negócios do Sebrae, também tivemos painéis e palestras excelentes, boa visitação da exposição e presença de diversas entidades do setor”, analisa a presidente da ABEOC Brasil, Anita Pires.
“Além disso, a ABEOC Brasil entregou importantes ferramentas para o mercado, como o estudo de Dimensionamento Econômico do Setor, os guias de melhores práticas, autorregulamentação e o código de ética, enfim, um conjunto de ferramentas que vai alavancar as oportunidades para toda a cadeia produtiva”, acrescenta.
Entidades reafirmam compromisso com o setor e defendem união
A presidente da ABEOC Brasil, Anita Pires, foi a mediadora do painel “A importância da cooperação na cadeia produtiva para a captação e organização dos eventos” com a participação de presidentes de importantes organizações da cadeia produtiva do setor. “É o momento de fortalecermos as entidades diante da fragilidade da gestão pública. Temos que estar mais fortes, atuantes e integradas”, afirmou a presidente dando início ao painel.
Margareth Pizzato, presidente da ABRACCEF – Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras, afirmou que a criação do ForEventos foi fundamental para unificar as demandas do setor. “O resultado só vem com a união das associações”, disse Pizzato. “Precisamos de maior representatividade no Congresso e no Governo Federal”, completou.
Para Enrico Fermi Torquato Fontes, presidente da ABIH Nacional – Associação Brasileira das Indústrias de Hotéis, o Brasil não tem cultura de associativismo. O presidente ainda comentou o aumento do número de associados. “O número de associados saltou de mil para quatro mil. Estamos presentes em todos os conselhos deliberativos. Sociedade forte se faz com participação”, disse Fontes.
O presidente da ABEVT – Academia Brasileira de Eventos e Turismo, Sérgio Medina Pasqualin, falou sobre o contato que a entidade vem fazendo com diversos pavilhões em todo o mundo. “Estamos com ações voltadas para a educação, mapeando todas as instituições que possuem em sua grade cursos e disciplinas voltados para o setor de eventos e queremos enviar brasileiros para estágio no exterior”, revelou Pasqualin.
“As Olimpíadas vão passar e não vamos aproveitar o legado?”, questionou em sua fala Alexandre Sampaio, presidente da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. “Queremos aproveitar esses dois anos para discutir como a iniciativa privada pode participar. Estamos no caminho certo e o Fórum é um bom caminho”, destacou Sampaio.
Marco Lomanto, diretor da Embratur, parabenizou a ABEOC Brasil pela realização do 26º Congresso e disse que os municípios devem encontrar o seu perfil para atrair eventos e estabelecer metas. “Queremos aumentar a cooperação entre estados e municípios e também entre os ministérios”, disse.
Último dia teve perfil técnico
O painel “Dimensionamento Econômico da Industria de Eventos no Brasil” contou com a participação de Elza Tsumori, coordenadora do ForEventos, Osíris Marques da Universidade Federal Fluminense e coordenador do Observatório do Turismo, além de Ana Clévia Guerreiro, gerente adjunta da Unidade de Atendimento Coletivo – Serviços do Sebrae Nacional. Todos os dados discutidos no painel podem ser acessados na publicação: https://abeoc.org.br/dimensionamento.
Elza Tsumori, coordenadora do ForEventos, falou que além dos dados do Dimensionamento, é importante notar os desafios e perspectivas até o ano de 2020 que também estão presentes no documento. “São elementos importantes para o conhecimento dos profissionais e da associação enquanto representante da cadeia produtiva”, afirmou Tsumori.
“São várias formas de leitura e recomendo que o dimensionamento seja um instrumento do dia-a-dia de todos vocês. É um elemento forte para auxiliar no crescimento”, concluiu.
A programação do último dia ainda contou com um painel sobre as fontes de informação para fortalecer os negócios e um painel que aprofundou a questão da cooperação internacional com Alisson Batres, presidente da Cocal – Federação de Entidades Organizadoras de Congressos e Afins da América Latina e contou com a participação de Anita Pires e de Luís Aherns Teixeira, presidente da Seção de Congressos e vice-presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos – APECATE.
Carta de São Paulo é otimista, mas pede correção do poder público
A sessão de encerramento contou com a entrega de certificados do Selo de Qualidade, a posse das novas diretorias da ABEOC Brasil e Estaduais, além de homenagem aos Amigos da ABEOC.
A Carta de São Paulo, documento com texto final sobre a síntese das discussões e conclusões do 26º Congresso, enfatizou a importância do setor que cresceu 14% em 2013, movimentando R$ 209,2 bilhões e 590 mil eventos realizados em todo o Brasil.
“Os eventos são os mais propícios para novas relações profissionais e para as trocas de experiências. Os resultados gerados por um evento bem realizado se refletem nas imagens de promotores, patrocinadores, expositores, palestrantes, participantes e por consequência em toda sociedade”, afirma a Carta.
O documento ainda enfatiza a necessidade de desburocratizar e clarear a forma de obtenção de licenças, alvarás, o que pode induzir a realização de mais eventos. “Observamos atentamente os rumos da economia nacional e o risco de potencial impacto pela crise internacional que assombra o mercado europeu e americano”, diz o documento.
Outro destaque do documento é a preocupação com a frequente mudança nos cargos relacionados ao Turismo, o que impede ações continuadas. “E neste novo momento, o tempo de resposta do Poder Público precisará mudar. É fundamental que sejam fomentadas políticas públicas integradas, leis convergentes, fortalecimento, valorização e renovação do quadro dos órgãos que lidam e tratam do turismo de negócios e eventos”, afirma a Carta.
Fotos e comunicados no site oficial
Além dos conteúdos e informações sobre o 26º Congresso, jornalistas, assessores e participantes contam com canais específicos de divulgação. No site oficial www.eventosbrasil.org.br estão disponíveis todos os comunicados para a imprensa e fotos que também podem ser encontradas no canal do Eventos Brasil 2014 no Flickr: https://www.flickr.com/photos/congressoeventosbrasil/
Números:
· Mais de 900 participantes
· Mais de 5 mil kg de CO2 compensados (resultados parciais)
· 85 kg de material reciclado (resultados parciais)
· 968 público total impactado por ações ambientais (resultados parciais)
Dados completos sobre ações de sustentabilidade no dia 09/12 em http://eventosbrasil.greenhub.eco.br/
 Publicado por Portal Radar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *