Codese-DF pede aumento na eficiência do poder público

[Correio Brazilienese, 15/08/2017]
Segundo o Presidente do Codese-DF e da Ademi-DF, Paulo Muniz, o que se busca é uma pauta econômica de Estado, e não de governo. “Em vez das alterações constantes, de quatro em quatro anos, no planejamento econômico, nós queremos fazer algo contínuo, que acompanhe a demanda do mercado. Pensamos desde medidas emergenciais necessárias até o longo prazo: o que podemos fazer para ter um bom cenário em 2030”, explicou. Há uma reunião marcada para a próxima semana para tratar do assunto. Ontem, o grupo foi recebido no Correio pelo vice-presidente-executivo, Evaristo Oliveira.
O Codese foi criado com o objetivo de participar ativamente do planejamento e futuro da economia de Brasília e Entorno em março de 2017. Formado por 55 entidades do DF e 17 câmaras técnicas, foi inspirado no modelo de Maringá (PR) e no Codese de Goiás.
As câmaras técnicas são divididas de acordo com o setor produtivo. Por meio de parcerias com as entidades e com a sociedade civil, elas devem analisar as necessidades de cada setor. Dentre os objetivos que o Codese busca, estão o aumento de emprego, crescimento de renda e o desenvolvimento econômico da região.
Paulo Muniz destacou que o grupo quer levar o DF para uma situação de competitividade com os demais estados e municípios do país, elevando o nível da economia brasiliense. “Para vermos nossa sociedade crescer, nós devemos agir e participar desse crescimento”, lembrou. Ele afirmou que o primeiro passo efetivo será a seleção de medidas emergenciais, que estão em discussão, e a prioritária, que deve ser apresentada até o final do mês de setembro deste ano. Os projetos de soluções a médio e a longo prazo têm previsão de ser divulgados entre os meses de julho e agosto de 2018.
O Presidente da Câmara de Comércio Brasil-Portugal Centro-Oeste e diretor-financeiro do Codese-DF, Edson de Castro, observou que a rua de comércio W3 Sul, atualmente, possui cerca de 150 lojas fechadas e a W3 Norte, cerca de 70. Em todo o DF somam-se aproximadamente 18 mil lojas fechadas. “A economia tem de ser impulsionada. Com as ações do Codese, poderemos passar ao governo a importância disso, por meio da união de todas as entidades do setor produtivo do DF”, disse.
As entidades que formam o Codese-DF são: Abav-DF; Abeoc BRASIL; ABH; Abrasel DF; ACDF; Ademi-DF; Asbraco; Brasília e Região Convention & visitors Bureau; CBIC; CBP-CO; CDL DF; CRA-DF; CRC-DF; Creci-DF; CRO-DF; Fape-DF; Fecomércio-DF; Fibra; Ibrades; Desp; OAB-DF; Riex-DF; Secovi-DF; Sescon-DF; Sindhobar; Sindigraf DF; Sindivarejista-DF; Sindiveste-DF; Sinduscon-DF; Sinfor; e Fundação Assis Chateaubriand.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *