Ministério do Turismo formaliza pedido de isenção de vistos para turistas norte-americanos

[Por FBHA,27/05/2015]
O MTur (Ministério do Turismo) formalizou junto ao Ministério de Relações Exteriores um pedido para isenção de visto de turistas norte-americanos entre junho de 2015 e dezembro de 2016. O documento foi entregue na última quinta-feira (21) ao chanceler Mauro Vieira, por Henrique Alvez, ministro do Turismo.
A medida segue a tendência adotada por cerca de 50 destinos internacionais, que alteraram sua política de visto para cidadãos de mais de 30 países entre 2010 e 2014. Ainda assim, no ano passado, cerca de 62% da população mundial precisava obter um visto antes de iniciar uma viagem internacional.
O ministro destacou a importância do pleito e afirmou que essa é uma estratégia-piloto que pode ser estendida, posteriormente, a outros países estratégicos para a ampliação do fluxo de estrangeiros e entrada de divisas no Brasil.
“A barreira do visto, em um País que se prepara para receber um dos maiores eventos esportivos do mundo em 2016, representa uma demanda represada, receita reduzida e imagem afetada pela faltade abertura internacional. A decisão certamente pode contribuir para reduzir o déficit da nossa conta Turismo, que em 2014 foi de US$ 18,6 bilhões”, disse o ministro.
O pleito do MTur leva em conta a proximidade dos Jogos Olímpicos; a experiência de flexibilização devistos durante a Copa do Mundo 2014, com 1 milhão de estrangeiros visitando o país e cerca de 100 mil vistos especiais emitidos para o período; e o perfil do turista norte-americano.
Conforme a entidade, mesmo com exigência de visto para entrada no País, os visitantes dos EUA são o segundo maior mercado emissor para o Brasil (592,8 mil em 2013), o que mais gasta (US$ 1.427,00) e mais permanece no país a lazer (20,6 dias).
O embaixador Mauro Vieira afirmou não ter nenhuma dificuldade ideológica para atender o pleito, mas ressaltou a política de reciprocidade. “Já temos acordo de isenção com 82 países, mas precisamos seguir a lei e as políticas vigentes no País”, disse o embaixador.