Bom senso venceu: Centro de Eventos será construído em Porto Alegre

[Por Revista Eventos, 05/06/2013]
Durante o lançamento do Programa de Qualificação em Gestão e Certificação de Empresas de Eventos, no Hotel Plaza São Rafael, promovido pela ABEOC RS, foi anunciado pelo secretário de turismo de Porto Alegre a construção de um Centro de Eventos em Porto Alegre. O trade presente aplaudiu a novidade. Muitos consideraram a notícia como mais uma vitória do bom senso, já que a preferência do estado era que a construção do equipamento fosse feita ao lado do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, na região metropolitana.
Em anúncio feito hoje, a secretária do Turismo do RS, Abgail Pereira, garantiu que o governo manterá o esforço técnico para assegurar os recursos que viabilizam a construção de um Centro de Eventos do Estado. “É uma surpresa, à medida que desde o início da nossa gestão vínhamos debatendo conjuntamente o projeto do Estado em parceria com a Prefeitura de Porto Alegre e Governo Federal. Ainda assim, manteremos os canais de colaboração e discussão com todos os agentes públicos e também com a iniciativa privada, que consideramos essencial para a viabilização de um investimento de tal relevância e que dê a dimensão de um Centro de Eventos de classe mundial”, disse ela.
O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, ligou para o governador Tarso Genro na manhã desta quarta-feira (5). Tarso informou que não há nenhum tipo de desavença entre estado e município neste tema, e que espera mais informações do Ministério do Turismo, pois no dia do empenho dos recursos o próprio ministro Gastão Vieira avaliou diretamente com o governador não só os valores do projeto, mas também a contrapartida por parte do Rio Grande do Sul.
O governador salientou que o empenho ao município não deva ser cancelado, embora este seja um fato novo no trabalho que já vinha sendo feito de forma comum com a prefeitura e a União. O governo gaúcho aguardará até a próxima semana informações do Ministério do Turismo sobre qual o regime de colaboração a ser desenvolvido daqui por diante para a construção de um Centro de Eventos do Estado do Rio Grande do Sul.
Editorial da Revista Eventos do Sul
O editorial da edição de dezembro de 2012 da Revista Eventos do Sul adiantou a importância da construção do equipamento na capital gaúcha. Segundo o texto, o Centro de Eventos deve estar inserido na comunidade. Ser construído em Porto Alegre, ter fácil acesso, incentivar o turista a conhecer a Arena do Grêmio e, no centro, a Casa de Cultura Mário Quintana, o Santander Cultural, o Mercado Público e a dar uma volta de barco pelo Rio Guaíba. Facilitar que, à noite, possa apreciar a culinária e os bares do Moinhos de Vento. Deve ser um polo indutor e criador de demanda. Poderá atender a vários públicos, mas, é claro, não a todos. O objetivo é a polivalência e a funcionalidade, mas a definição do seu escopo deve ser do trade. Profissionais de diversas áreas precisam ser ouvidos, tudo pensado em seus mínimos detalhes.
Recursos
Estudos preliminares de viabilidade encaminhados pela Prefeitura de Porto Alegre ao Ministério do Turismo para a construção de um novo centro de feiras e convenções na Capital foi acolhido pelo órgão federal, que destinará R$ 60 milhões para a construção do equipamento. O empenho do recurso para o município foi feito na segunda-feira, 3, pelo MTur. Os recursos fazem parte do conjunto de R$ 660 milhões que o PAC do Turismo destinará a 10 capitais do país para o aprimoramento de sua infraestrutura para eventos. O próximo passo será a assinatura de convênio entre o MTur e a prefeitura para o repasse do dinheiro.
De acordo com o secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, o projeto do município é para um equipamento estruturado com o que há de mais moderno em arquitetura e tecnologia, de médio porte em relação aos padrões internacionais, mas com área de feiras de 26 mil metros quadrados de área locável, o que corresponde a quase três vezes o maior espaço disponível para feiras em Porto Alegre atualmente, que fica na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul – Fiergs. O espaço para convenções, de 9 mil metros quadrados, terá capacidade para 6.450 pessoas sentadas, e a área de estacionamento oferecerá 6 mil vagas.
A localização, inicialmente prevista para a construção do Porto Alegre Centro de Convenções, é uma área de 27 hectares localizada na avenida Bento Gonçalves, no bairro Partenon, selecionada após estudos e avaliações pelas secretaria municipais de Turismo, Meio Ambiente, Obras, Urbanismo, Fazenda, Gestão e Departamento Municipal de Habitação. A partir do terreno selecionado, a prefeitura vislumbra o desenvolvimento de um projeto ambientalmente sustentável, integrado às áreas naturais de preservação existentes no terreno, com reaproveitamento de água de chuva, energia solar, entre outros. O próximo passo será a assinatura do convênio.
“Evidentemente que nós vamos estudar mais profundamente se a área comporta questões de mobilidade, pacto social, econômico e ambiental. Caso contrário, poderemos alterar. Temos outras alternativas que poderemos analisar”, anuncia o secretário. O tempo médio de construção, diz ele, é de três a cinco anos, devido a todos os detalhes envolvendo operação e negócio, principalmente de gestão e administração. “A demanda deste equipamento é resultado de um planejamento estratégico feito pelo trade e liderado pelo Sindipoa com o nosso apoio”.
Estratégico
Reivindicação de muitos anos das entidades e empresas do Turismo da Capital, um centro de eventos de classe mundial e adequado à realizações de grande porte é apontado como necessidade básica para a continuidade do desenvolvimento turístico da cidade desde o planejamento estratégico do setor, elaborado em 2007 com a participação do trade turístico, do município e outros setores da sociedade. “É um fator estratégico para a disputa feroz que ocorre com outros destinos na captação de eventos para a cidade”, destaca o presidente do Sindicato dos Hotéis de Porto Alegre e vice do Sindicato de Hotelaria e Gastronomia, Daniel Antoniolli.
O dirigente defende que o segmento de eventos é a forte vocação da cidade. “Mas hoje há uma limitação em nossas estruturas que precisa ser enfrentada e esse investimento, que é uma conquista de todos, com certeza vai mudar a cara do turismo de Porto Alegre”, festeja o líder empresarial confessando que seria impossível se “conformar” com a construção de um novo centro de eventos em outra cidade gaúcha que não fosse a Capital do Estado.
A Capital gaúcha está no seleto grupo das cidades com forte atuação no turismo de eventos desde 2002, mas oscila muito de posição no ranking da ICCA (International Congress and Convention Association), principal entidade internacional do setor de eventos. No balanço de 2012, por exemplo, a cidade perdeu duas posições entre os destinos brasileiros que mais receberam eventos internacionais, saindo da 5ª para a 7ª colocação. Para o secretário Luiz Fernando Moraes, “O Governo Federal foi sensível ao compreender que está nesse segmento um grande potencial de crescimento do turismo nacional e, no caso de Porto Alegre, cuja vocação para eventos é notória, permitirá que a cidade mude o seu patamar de competição nesse disputado mercado internacional.”