Embratur anuncia nova campanha para 2013: Vivências Brasileiras

[Por Mercado e Eventos, 22/01/2013]
Durante a reunião da Fornatur, nesta terça-feira (22), o presidente da Embratur, Flávio Dino, anunciou que a partir de agosto, o programa “Goal to Brazil” será ampliado e incluirá um novo destino. A nova fase se chamará “Vivencias brasileiras” e incluirá todos os estados brasileiros, e não apenas os estados sede da copa, e também incluirá a Russia.
Goal to Brasil permanecerá por mais oito edições, sendo as duas próximas em 29 de janeiro, em Madri, com foco em Fortaleza, e em 5 de fevereiro, em Milão, sendo Natal a cidade convidada. Já “Vivencias Brasileiras” entrará em vigor logo após a Jornada Mundial da Juventude. “O retorno é muito satisfatório em termos de consolidação de imagem, uma vez que em todos os destinos há uma divulgação na imprensa”. “A gente vai continuar a investir nisso, sem sacrificar feiras, mas com uma perspectiva mais eficiente”.
Na ocasião, Dino fez um balanço de 2012 e apresentou, em linhas gerais, a agenda comercial para 2013. Dentre as iniciativas, está a proposta de aumentar de 15 a 20% o total de eventos. “É um crescimento três vezes maior que nos demais setores”.
Ainda sobre os projetos para 2013, Flávio Dino adiantou que publicará em 20 ou 30 dias o edital de voo charter. Flávio Dino também afirmou que já está sendo iniciada a fase de licitação das agências de publicidade e das montadoras. “Vamos rever o contrato com as montadoras de feiras, já que tivemos alguns problemas no ano passado. Nós estamos licitando, também em outros termos, as agências de promoção”.
Segundo presidente da Embratur, em 2012 foras realizados 15 eventos nas Américas, com investimento de 6 milhões, mais 18 eventos na Europa, com investimento de mais de 20 milhões. Também foram realizados 41 workshops e roadshows, totalizando todo o custo em 31 milhões.
Segundo Flávio Dino, os convênios com os estados totalizaram 21 em 2012, com investimento de R$ 5 milhões. “Se somarmos as nossas parcerias com os estados e municípios, os convênios passam de 14,5 milhões”. Flávio Dino enfatizou também a competitividade. “Temos um grande problema com preços de hospedagem e passagens aéreas. É uma posição delicada em termos internacionais e muito acima dos nossos competidores diretos. Com os demais destinos, estamos praticamente nivelados. Infelizmente, estamos consolidando a imagem de um destino caro”, afirmou.
De acordo com o presidente da Embratur, não adiantará fazer promoção internacional, se não houver um controle disso. “Queremos que o programa de passagens aéreas que a presidenta Dilma lançou funcione, mas precisamos, primeiro, identificar nosso mercado”.