Estudo da HotelInvest aponta queda em índices de ocupação

[Por Hôtelier News, 03/05/2012]
Aumento de 4% na oferta e diminuição de 1,6% na demanda, fatores que ocasionaram queda de 5,4% na taxa de ocupação. Estes são alguns dos índices divulgados pela HotelInvest, no artigo de Natália Cheung, que abordou a performance do mercado hoteleiro brasileiro no primeiro trimestre de 2012 e comparou-o ao mesmo período do ano anterior.
O texto baseia-se no levantamento Panorama da Hotelaria Brasileira, realizado pela própria HotelInvest contando com a colaboração de instituições e associações hoteleiras de algumas capitais do País.
Num apanhado geral, a pesquisa mostra a retração da taxa de ocupação em todos os municípios analisados, salvo o Rio de Janeiro. O estudo também mostra que nos aspectos diária média e RevPar (receita por apartamento disponível) houve crescimento – 16,1% e 9,9%, respectivamente. A receita total dos hotéis brasileiros também aumentou, 14,3%.
Cidades
As capitais analisadas no levantamento foram: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte – que participa pela primeira vez da pesquisa como objeto de estudo.
Dentre os municípios analisados, a capital fluminense foi a única que anotou crescimento na ocupação, com 5,9% de subida. Como consequência do aumento na ocupação, a diária média também registrou acréscimo (21,5%). Estes resultados conferem ao Rio de Janeiro, pelo terceiro trimestre seguido, o título de mercado brasileiro com maior expansão no RevPar (28,7%).
As capitais de São Paulo e Rio Grande do Sul obtiveram resultados parecidos com o obtido no primeiro trimestre de 2011. As duas cidades amargaram queda nas taxas de ocupação; São Paulo
-2,7%, e Porto Alegre com -2,1%. Em compensação os números de diária média e RevPar cresceram nos dois destinos.
Salvador e Curitiba tiveram os piores desempenhos no levantamento. A capital baiana angariou -16,3% na ocupação,
-12,1% no RevPar e só obteve números positivos no quesito diária média, no qual atingiu acréscimo de 5%. A cidade paranaense teve -9,1% na ocupação e dois resultados positivos, 28,5% na diária média e 16,8% no RevPar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *