Aluguel de quartos para turistas rende R$ 2,5 mi a brasileiros

[Por Terra, 10/04/2012]
A Airbnb, rede de turismo que permite o aluguel de casas, quartos e outros espaços por temporada, anunciou nesta terça-feira a criação de um escritório em São Paulo, o primeiro na América Latina, de acordo com o presidente e fundador da empresa, Brian Chesky. Apenas em 2011, os viajantes brasileiros reservaram cerca de 52 mil diárias na Airbnb e os moradores que alugaram espaços no País ganharam cerca de R$ 2,5 milhões.
Segundo Chesky, o site chega ao País para atender a demanda já existente do mercado brasileiro e a futura, criada por eventos como a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016. Atualmente o site atua em 192 países e já recebeu cerca de 100 mil anúncios e 5 milhões de hóspedes. Segundo o jornal americano Financial Times, a empresa tem valor de mercado de US$ 1,3 bilhão.
O novo escritório, que conta com dois diretores locais, Christian Gessner e Stefan Schimenes, vem acompanhar o crescimento do site no País. “Em 2011 percebemos que o número de brasileiros que usavam o serviço já era muito grande e resolvemos investir aqui”, diz Chesky. Ele garante que a demanda por hospedagens no Brasil cresceu 1200% apenas no último ano. Há 14 mil espaços cadastrados na cidade do Rio de Janeiro e cerca de 5 mil em São Paulo, os dois maiores mercados no País.
“Os brasileiros descobriram o site e nós viemos seguir a comunidade que já estava lá. É o momento do País e viemos auxiliar a demanda que é crescente”, diz o presidente. Conforme Chesky, o site recebe todas as semanas 20 novos anunciantes brasileiros – já há 400 mil “anfitriões” no País. No próximo ano, ele prevê um crescimento de 500% no mercado brasileiro. “O mercado já era muito grande mesmo sem nossa presença no País, agora esperamos crescer ainda mais”, conta.
“São Paulo é o melhor lugar para atender o crescente mercado latino americano”, diz Schimenes. Segundo ele, a empresa vê que o País não tem como atender a oferta por vaga de hotéis, então o Airbund pode ser uma opção. A empresa anunciou que em 2011 foram reservadas pelo site 5 milhões de diárias em todo o mundo, aumento de 465% em relação ano ano anterior.
Compartilhamento
Para o fundador do site, criado em 2008 em São Francisco (EUA), a ideia do compartilhamento de espaços privados veio para ficar. “Estamos mudando o conceito de uma sociedade de propriedade para a de compartilhamento”, diz. O conceito, já usado no couchsurfing (reserva de sofá, tradução livre), é ampliado neste caso. Ao invés de apenas basear-se na reciprocidade (no couchsurfing o viajante usa o sofá alheio e poderá vir a emprestar o seu), dessa vez o visitante paga uma diária. Embora o anúncio no site seja gratuito, a Airbnb fica com 6 a 12% do custo da locação. Para oferecer um quarto, casa, ou procurar ofertas disponíveis é preciso se cadastrar no site.
Como fazer
– O usuário que entrar na página da empresa já pode visualizar as opções de hospedagem disponíveis. Mas, para poder alugar, é preciso fazer cadastro, que é gratuito. O usuário pode se inscrever pela página da empresa utilizando a conta do Facebook que irá preencher automaticamente alguns dados do perfil, mas também é possível se inscrever com uma conta de e-mail.
– Para oferecer um espaço é preciso entra no site da Airbnb, e depois clicar no botão amarelo no canto superior direito de qualquer página do site para anunciar. O usuário deve colocar o endereço e outros detalhes da propriedade e definir o período do anúncio. O pagamento é feito diretamente pelo site. O anfitrião receberá o valor 24 horas depois do início da estadia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *