Mobilidade no Recife e RMR está na mira do comitê organizador da Copa de 2014

[Por PE360 Graus, 19/09/2011]
Quando se fala em obras para a Copa do Mundo de 2014, os estádios são maior preocupação das cidades-sedes. No Recife, a história não é diferente. Mas quando o assunto é infraestrutura, os holofotes se voltam para um dos principais problemas da capital pernambucana: a mobilidade. Não é à toa que a maioria dos projetos para o Mundial são voltados para a melhoria do trânsito das vias internas e de acesso ao município.
Na mira do comitê organizador da Copa do Mundo, estão as avenidas Caxangá e Agamenon Magalhães, a BR-408, vias de acesso ao aeroporto, corredores de ônibus, terminais integrados e o metrô. As intervenções nesses locais mudarão o desenho da cidade, a exemplo dos quatro viadutos que devem ser construídos na avenida Agamenon Magalhães nos cruzamentos com a Rua do Paissandu e as avenidas Joaquim Nabuco, Rui Barbosa e Rosa e Silva.
“Nós, inclusive, teremos que contar com a paciência da população porque algumas obras certamente vão, durante um período, criar um transtorno adicional num trânsito já complicado como é o caso da construção de quatro viadutos transversais na Agamenon Magalhães. Eles provavelmente vão ser construídos simultaneamente pra que esse impacto negativo ocorra de uma vez. E as pessoas têm que saber que depois disso terão uma qualidade de transporte melhor”, alerta o secretário estadual da Copa, Ricardo Leitão.
Dois corredores de ônibus vão melhorar a vida de quem usa transporte coletivo. O Norte/Sul, de Igarassu até a estação central do Metrô, vai ter 33 quilômetros e 31 estações interligadas, um viaduto e dois elevados. O Leste/Oeste, que vai da Praça do Derby, passando pela Avenida Caxangá, até o terminal integrado de Camaragibe, contará com dois terminais integrados, 22 estações, três elevados, um túnel e um viaduto. O percurso total será de 12,5 km. “Vai ser um marco no processo de urbanização da cidade”, opina o o secretário estadual da Copa.
Também está em andamento a construção do terminal integrado Cosme e Damião, na cidade de Camaragibe, ao lado da estação do metrô. O local fica a 1,5 km da Arena Pernambuco. O número de trens vai aumentar de 25 para quarenta. A estimativa é de que o tempo de intervalo entre as viagens, hoje de 20 minutos, diminua para sete.
Quem não quiser pegar o metrô para chegar à Arena Pernambuco pode ir por uma BR-408 duplicada, no trecho entre as cidades de São Lourenço da Mata e Carpina. Essa obra já está em andamento, assim como a Via Mangue, que vai ligar a zona norte à zona sul do Recife em quase cinco quilômetros de extensão. O alargamento do viaduto Capitão Temudo, uma das etapas da Via Mangue, já foi inaugurado para facilitar o acesso ao bairro de Boa Viagem.
AEROPORTO
Se as capitais brasileiras estão com problemas em seus aeroportos, Pernambuco pretende fazer apenas pequenas reformas no Aeroporto dos Guararapes. Uma nova torre de controle e uma engenhosa passarela com esteira rolante, cruzando a avenida Mascarenhas de Moraes até a estação de metrô, são as únicas mudanças no setor uma vez que a situação do aeroporto pernambucano é considerada satisfatória pelo governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *