Presidente da CBC&VB encerrou ciclo de palestras na Bahia

[Por Hôtelier News, 28/11/2011]
Na sexta-feira (25/11), o presidente da CBC&VB (Confederação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux), João Luiz dos Santos Moreira, proferiu a última palestra do ano da série Café com Turismo, uma promoção do Salvador Convention em parceria com o Sebrae-BA.
O tema abordado foi Marketing de destino e CVBx, com destaque para a apresentação de dados sobre o comportamento do turista internacional no Brasil, obtidos por meio de pesquisa realizada pela confederação. Entre críticas às entidades governamentais do turismo e chamados de alerta ao empresariado presente, o consultor gaúcho exaltou a atuação dos convention bureau no País e refletiu sobre as mudanças que estão por vir no cenário turístico pós-Copa.
“O São Paulo Convention utiliza depoimentos de famosos referendando o destino nas campanhas publicitárias”, diz. Foi um dos exemplos de cases de marketing bem-sucedidos citados pelo palestrante, que defende a importância de ações continuadas por parte dos bureau.
Ao mencionar o destino Bahia, Moreira lembrou das recentes críticas de Guilherme Paulus, presidente da CVC, que ecoaram negativamente no mercado, e contrapôs a visão do empresário: “A Bahia se mostra muito bem lá fora”, disse.
A responsabilidade de sediar eventos esportivos
Grandes eventos esportivos podem mudar definitivamente a imagem ou o perfil turístico do País ou da cidade que os sediam. Para contribuir com esta reflexão, Moreira apresentou alguns modelos de sucesso e também de fracasso.
Entre os cases bem-sucedidos está o de Barcelona pós-Olimpíadas de 1992. A realização dos Jogos Olímpicos na cidade espanhola foi um divisor de águas para o fluxo turístico. Outro exemplo de maior dimensão é o da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha, responsável por apagar o conceito de “país nazista” que ainda pairava no imaginário coletivo mundial. Porto Alegre, capital gaúcha, também colheu frutos com o Fórum Social Mundial 2003.
O mau resultado ficou para o Rio de Janeiro – exemplificado com o Pan 2007. Os custos estourados, muito além do esperado, e a má gestão de equipamentos construídos, como estádio e velódromo, fizeram com que o Rio de Janeiro amargasse os reflexos dos Jogos Panamericanos.
Turista estrangeiro
Quando se fala em turismo internacional no Brasil, é praticamente impossível não tecer críticas à política de reciprocidade brasileira quanto ao visto americano. Esta foi mais uma das leituras do presidente do CVBx, ao apresentar os dados da demanda do turismo estrangeiro no País. “O Brasil recebe um número ainda ridículo de turistas internacionais. O americano tem custos muito menores para ir ao Caribe”, enfatizou.
Entre os dados apontados, Salvador figura como a quinta colocada do ranking de cidades mais visitadas por este público. O principal ponto positivo apontado pelo estrangeiro que visita o Brasil é a Hospitalidade e o maior ponto negativo é o Preço. Surpreendentemente, Segurança Pública ficou em sétimo lugar entre os itens que o turista prefere tirar do diário de viagem.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *