Turismo ganha cadastro e nova classificação hoteleira

[Por Agência Pará de Notícias, 18/10/2011]
Empresas e instituições ligadas ao turismo no Pará conheceram na manhã desta terça-feira (18) o Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) e a nova Classificação Hoteleira. A apresentação, feita no auditório da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), foi feita por Rosiane Rockembach, coordenadora geral de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo, que está em Belém. Segundo a coordenadora, o Cadastur e a nova classificação são dois importantes passos para o desenvolvimento das organizações turísticas como uma atividade econômica.
O Cadastro de Serviços Turísticos, que até 2008 era pago e opcional, se destinava principalmente a mapear as empresas do setor. O novo formato do Cadastur é totalmente gratuito e obrigatório, visando a regulamentação das empresas e serviços ligados ao turismo. “Quando a gente entende que o cadastro é uma forma não só de mapear o número de empresários, mas de nortear uma gama de políticas publicas para o setor, pensamos na regulamentação desses serviços como qualquer outro prestado à sociedade. O cadastro é o primeiro passo para regularizar essas empresas”, ressaltou Rosiane Rockembach.
No momento, o trabalho é feito para conscientizar os empresários quanto à obrigatoriedade do cadastro. Para se cadastrar basta preencher o formulário no site www.cadastur.turismo.gov.br e depois apresentar na Paratur a documentação exigida, para emissão do certificado. A não realização do cadastramento pode gerar penalidades instituídas em decreto, que vão desde uma notificação até a possibilidade de fechar o empreendimento.
Legalidade – Para o governo, o cadastramento é uma forma de mapear e garantir a legalidade e regularidade dos serviços; para o turista é a garantia de utilização de um serviço legalizado. O empresário ganha nos benefícios oferecidos, como financiamentos e linhas de crédito, programas de qualificação e divulgação de serviços ao público alvo.
O presidente da Paratur, Adenauer Góes, destacou que o Pará está entre os últimos no ranking de cadastros, o que também interfere no valor final dos repasses financeiros para a divulgação. “Ao subirmos no ranking dos Estados, o Pará faz jus a uma verba de divulgação e promoção em nível nacional, que é mais elevada, e essa verba é utilizada para divulgar e promover o próprio Estado do Pará como destino turístico. Estamos quase no fim da fila, mas estamos subindo. É importante o empresário do turismo se cadastrar”, frisou Adenauer Góes.
Classificação – A novidade apresentada durante a reunião foi o novo sistema de Classificação Hoteleira. O Brasil não tinha um sistema determinado para essa finalidade, o que possibilitava que várias redes se atribuíssem classificações sem nenhum tipo de referência, deixando o consumidor sem segurança na atual classificação por estrelas.
Uma pesquisa entre 24 países norteou os requisitos que compõem a matriz atual. A principal mudança é a classificação por tipo de serviço. Antes, toda a rede hoteleira competia entre si. Na classificação atual, cada tipo de hospedagem tem determinações específicas de acordo com a modalidade. “Agora, a pousada concorre com pousada, e não com hotel. Cada um vai ter estrelas determinadas de acordo com cada tipologia. Essa variação de possibilidade de serviços é que faz a diferença. Agora fica mais claro para o empreendedor, o que ele tem que oferecer, e para o turista, o que ele pode buscar em cada serviço oferecido”, explicou Rosiane Rockembach.
Os participantes da reunião apoiaram as novidades, e acreditam que são mudanças relevantes para a estabilização da base turística do Estado. “Toda a novidade que aparece neste segmento nos possibilita uma maior visibilidade dentro do contexto da organização turística. São assuntos de relevância para a estruturação da oferta de serviços turísticos. No caso do cadastro, se gasta pouco tempo para fazer, e é o momento de olhar para a própria empresa e saber onde estão seus números e começar a perceber, a médio e longo prazo, a importância disso para o seu negócio”, destacou a empresária Irene Belo, dona de um hotel em Santarém, município do oeste paraense.
Para Henrique Campos, secretário de Turismo de Curuçá (município do nordeste), reuniões como essa são de extrema importância para o desenvolvimento turístico dos municípios. “Nós temos que quebrar muitas barreiras, mas acredito que enquanto houver esclarecimento através dessas reuniões, as Secretarias de Turismo dos municípios só têm a ganhar. Gostei de saber da nova classificação da rede hoteleira. A partir desta mudança, o Ministério do Turismo nos dá a oportunidade de ter estabelecimentos classificados em municípios onde a rede hoteleira muitas vezes se resume a pousadas”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *