Passaporte da vacina passa a ser obrigatório a partir do dia 1º em SP

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou que o passaporte da vacina passa a ser obrigatório a partir de 1° de setembro. O decreto foi publicado ainda no sábado (28).

A partir do próximo mês, todos os eventos com mais de 500 pessoas ficam obrigados a exigir o comprovante de vacina com a primeira ou segunda dose, a depender da idade da pessoa, para acesso ao local.

Através do aplicativo E-Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, os cidadãos vão ter acesso a um QR Code, que comprova a situação vacinal da pessoa. Já o estabelecimento responsável pelo evento, precisa acessar o link pelo site da prefeitura onde será possível ler a carteira digital do cliente para liberação do acesso.

De acordo com o prefeito, a iniciativa pretende garantir mais segurança às pessoas contra a disseminação do coronavírus na cidade de São Paulo.

 

Vacinação

 

Ricardo Nunes acompanhou na manhã desta segunda-feira (30) o início da vacinação contra a covid-19 em jovens de 15 a 17 anos sem comorbidades na capital.

A ação ocorreu na UBS (Unidade Básica de Saúde) Veleiros, na avenida Calra Mantelli, na região de Interlagos, zona sul de São Paulo. A filha do prefeito, Izabela Nunes, de 15 anos, foi uma das primeiras adolescentes a se vacinar, acompanhada do pai.

Durante entrevista coletiva, o prefeito destacou as ações até então adotadas para a maior adesão do grupo à vacina. No domingo (29), as doses foram aplicadas em sete parques da cidade, além de megapostos e farmácias parceiras.

A campanha foi destinada aos adolescentes de 12 a 17 anos com qualquer comorbidade ou deficiência física permanente, além de grávidas e puérperas. Quem precisa tomar a segunda dose do imunizante também pode procurar os postos para se vacinar.

O prefeito ainda lembrou a importância da presença dos pais ou responsáveis pelos jovens no ato da vacinação. No caso de impossibilidade de acompanhamento, é preciso ir com um adulto e apresentar autorização assinada pelo responsável.

Segundo Nunes, a ação realizada no domingo vacinou pouco mais de 3.500 pessoas, o que representa que cerca de 26% dos adolescentes elegíveis já se vacinou.

 

Fonte: R7