ABEOC Brasil prevê aumento de 30% na demanda de eventos no Rio com o Decreto do ICMS

O governador Wilson Witzel deu mais um passo para que mais eventos tenham o Rio de Janeiro como sede. No último dia 3 de abril, foi publicado, no Diário Oficial do Estado, o Decreto 46.629 referente ao diferimento do imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços – o ICMS. Voltado para contribuintes estabelecidos em outros estados da federação, o decreto é mais uma iniciativa da nova gestão para atrair mais eventos e estimular ainda mais o turismo no território fluminense. A Associação Brasileira de Empresas de Eventos estima um aumento de 30% na demanda de eventos e feiras para o Rio. Segundo Fátima Facuri, presidente da ABEOC Brasil, o Estado acaba de abraçar uma bandeira da associação: “Há muito estamos batendo nesta tecla de que é preciso rever a questão tributária que tornava o Rio de Janeiro menos competitivo enquanto destino, principalmente para os grandes eventos. Esse foi o primeiro passo para uma mudança.”

 

– Havia uma incidência tributária absolutamente injusta que se praticava contra os organizadores de feiras e expositores porque se exigia o pagamento prévio das mercadorias que eram expostas, mesmo sem a certeza sobre a efetiva venda do produto. Esta mecânica tributária ofensiva à captação eventos, neste momento, está sendo rompida. O expositor passará a pagar o tributo apenas sobre o que foi vendido – disse o secretário de Turismo, Otavio Leite.

 

Na prática, a medida funcionará assim: a empresa que realizar uma feira aqui, só pagará o imposto sobre o que for comercializado neste evento. Antes, empresários precisavam custear os tributos sobre a estimativa de venda. Para que o evento tenha o benefício do ICMS, é preciso que tenha a chancela da Secretaria de Estado de Turismo, que informará a realização do mesmo à Secretaria de Estado de Fazenda.

 

– Acho que é um momento muito importante para o setor do varejo e de feiras. A medida deve impactar de forma muito positiva e, de antemão, nosso encontro com o setor marcou claramente um reconhecimento e um agradecimento ao Governo do Estado e ao governador Wiztel, que atendeu nossa demanda. Voltamos a ser competitivos com outros estados do Brasil. E, nos casos dos novos talentos e pequenas empresas, como é o caso da Babilônia, tem outro elemento, que é o da troca e intercâmbio de conhecimento – comentou o diretor-geral da Babilônia Feira Hype, Robert Guimarães, presente no encontro, nesta quinta-feira (11/04), na Fecomércio, que reuniu o trade turístico fluminense e representantes do setor de feiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *