A nova fase do Turismo carioca na visão do MTur

[Por  Panrotas,  10/08/2016]
Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos mudaram de vez a cara do Rio de Janeiro. Com algumas novas atrações, como por exemplo a Pira Olímpica, a Orla Conde e a nova Praça Mauá, os visitantes se encontram cheios de variedades para conhecer o centro da cidade. A reforma do Rio também valorizou os espaços que cercam as atrações históricas, como a Igreja da Candelária, com mais de 100 anos, recebe centenas de visitantes mensalmente. Esses são, pelo menos, os resultados apontados até agora pelo Ministério do Turismo como legado da Rio 2016 para o setor.
E o órgão continua: “Na frente da Igreja da Candelária está a Pira Olímpica, escultura cinética confeccionada pelo artista norte-americano Anthony Howe, e ficará permanentemente na cidade. O conjunto se tornou ponto obrigatório para turistas e também para os próprios cariocas. O Porto Maravilha agora conta com mais opções de transporte público e espaços de lazer como a renovada Praça Mauá e os museus de Arte do Rio e do Amanhã. O painel Etnias, de Eduardo Kobra, foi inspirado nos Jogos e permanecerá como legado do Rio de Janeiro.
Quem quiser acessar o Centro, poderá ir pelo VLT, inaugurado no início de junho. O meio de transporte liga o Centro à Região Portuária integrando o metrô, trens, barcas, terminal de cruzeiros marítimos, Teleférico da Providência, Rodoviária Novo Rio, redes de ônibus convencionais e Aeroporto Santos Dumont.
Durante os Jogos Rio 2016, o modal estará operando no trecho Rodoviário Novo Rio-Aeroporto Santos Dumont, com mais de 10 paradas e uma estação. A ligação entre a Central do Brasil e a Praça XV entra em operação até dezembro, com 28 paradas e 3 estações. As novas mudanças no Porto Maravilha fizeram voltar verdadeiros tesouros arqueológicos, como o Cais da Imperatriz e o Jardim Suspenso do Valongo”.