Semana Santa movimenta R$ 310 milhões na Bahia com o turismo

[Por Mercado e Eventos, 06/04/2015]
Os turistas que viajaram na Páscoa pelo Brasil movimentaram mais de R$ 3,6 bilhões, incrementando o mercado doméstico de viagens. Cerca de 2 bilhões correspondem aos gastos com as viagens internas, considerando deslocamentos por avião, ônibus, navio e carro, por todos os estados brasileiros, revela projeção feita pelo Ministério do Turismo, com base em dados como gasto médio e frequência de viagens em feriados nacionais.
A Bahia está entre os três estados que registram maior movimento com o turismo de Páscoa: São Paulo (R$ 570 milhões), Rio Grande do Sul (R$ 489 milhões) e Bahia (R$ 310 milhões). Para o secretário do Turismo, Nelson Pelegrino, esta movimentação nos aeroportos e rodoviárias demonstra o interesse do brasileiro pelo próprio país e o do baiano pela Bahia.
O feriado da Semana Santa impulsionou a economia turística e gerou impacto positivo em diversos municípios baianos, que registraram elevadas taxas de ocupação hoteleira, como Porto Seguro e Litoral Norte.
Uma das exposições de artesanato mais antigas do País, a Feira dos Caxixis (miniaturas de objetos em barro) movimentou o Recôncavo Baiano durante a Semana Santa. Realizada em Nazaré (239 quilômetros de Salvador), a feira atraiu turistas da região e de várias partes do Brasil.
O município de Serrinha (173 quilômetros de Salvador) também viveu as celebrações da Semana Santa, uma das tradições religiosas mais fortes do interior baiano.  Além das missas, procissões, via-sacra, shows e teatro atraíram moradores e visitantes. A Diretoria de Turismo do município estimou que 20 mil turistas visitaram a cidade nesse período.
O município de Monte Santo (352 quilômetros de Salvador) também atraiu visitantes com sua intensa programação de fé e devoção durante as celebrações da Semana Santa. Em Lençóis (424 quilômetros de Salvador), na Chapada Diamantina, o feriado da Páscoa gerou uma taxa média de ocupação hoteleira entre 70% e 80%, segundo a Secretaria Municipal de Turismo. A cidade oferta 2.830 leitos, distribuídos entre pousadas, hotéis e albergues.
Os feriados incrementam a cadeia produtiva do turismo, como os meios de hospedagem (hotéis e pousadas) e o comércio em geral. “O turismo contribui para o faturamento do setor aéreo, bares e restaurantes, hotelaria e serviços”, disse o secretário Nelson Pelegrino. “Estamos atuando para tornar as 13 zonas turísticas ainda mais competitivas com oferta de qualidade e inovação, que dão sustentabilidade ao setor”.