Cidades de apoio se mobilizam para receber seleções e turistas

[Por Ministério do Turismo, 21/01/2014]
O turismo de Copa vai se intensificar 40 dias antes do apito inicial – mais precisamente quando astros da bola como o argentino Lionel Messi, que já recebeu quatro vezes a Bola de Ouro da Fifa como melhor jogador do mundo, e ainda o português Cristiano Ronaldo, além do francês Franck Ribéry desembarcarem no país e se deslocarem para suas cidades de treinamento.
Vespasiano não é cidade-sede, mas vai estar tão agitada quanto Belo Horizonte. A cidade mineira de apenas 104 mil habitantes, localizada na região metropolitana, a 27 Km da capital, é sede do famoso Centro de Treinamento do clube Atlético-MG e vai servir de base à seleção da Argentina.
A expectativa de receber Lionel Messi mobiliza a cidade há dois anos. Os investimentos do governo local em qualificação de mão-de-obra para o comércio e para a hotelaria já surtem efeito no turismo da cidade. Vespasiano está criando a “Casa da Copa”, uma estrutura preparada no centro de eventos da cidade para receber os turistas durante os jogos, que vai abrigar telão, restaurantes temáticos, área de lazer e shows – e ainda transmitir.
Afinal, assistir à Copa de dentro dos estádios será privilégio de poucos. “O movimento pelos destinos turísticos, especialmente pelas cidades que concentram as seleções, será grande. Elas estão se preparando para receber bem as seleções de todos os países e os turistas domésticos, que devem estar presente em grande número”, afirma o ministro do Turismo, Gastão Vieira.
A cidade de Campinas (SP) vai emprestar o Estádio Moisés Lucarelli, da Associação Atlética Ponte Preta, para a seleção portuguesa de Cristiano Ronaldo, eleito melhor jogador do mundo em 2013. A seleção da Nigéria, que também treina na cidade, vai se concentrar no estádio Brinco de Ouro da Princesa, estádio do Guarani. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e Turismo de Campinas, Samuel Rossilho, a cidade está preparada para a “Copa paralela”, que acontece especialmente nas cidades de apoio, que recebem as seleções.
A oportunidade também promove os destinos além do país. Rossilho afirma que a cidade já firmou parcerias com Portugal para promover o intercâmbio entre as culturas.  A Orquestra Sinfônica de Campinas, por exemplo, já tem data marcada para se apresentar em Lisboa. O objetivo é aguçar os sentidos dos turistas com a proximidade do evento – e trazer mais visitantes para o país.
Clique aqui para ouvir declaração do ministro Gastão Vieira sobre a importância da presença de seleções em cidades de apoio da Copa.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *