Mais duas entidades internacionais formam aliança

[Por Revista & Eventos, 28/05/2013]
A globalização e o centralismo governamental, com estados cada vez mais fortes avançando sobre a economia, têm levado importantes entidades internacionais a formarem alianças micro e macro setoriais. Em sua palestra no Fórum Eventos 2013, Steven Hacker mostrou o funcionamento do Convention Industry Council (CIC), tradicional aliança norte-americano que atua há três décadas, com resultados excepcionais.
No mês passado, duas das mais importantes associações do mundo, a IAEE e a IAVM anunciaram uma parceria, que reunirão debaixo de um mesmo guarda-chuva uma entidade dedicada a apoiar mais de 4 mil profissionais que trabalham em arenas, estádios, centros de convenções, salas de artes cênicas e complexos universitários (IAVM) e a representante de cerca de 1.300 empresas e 8.000 profissionais que atuam no mercado ferial (IAEE). Mais de 50% dos seus membros estão diretamente envolvidos no planejamento, gestão, produção de exposições e eventos corporativos.
Esta semana, mais duas associações anunciam o estabelecimento de uma aliança estratégica. Professional Convention Management Association (PCMA), sediada em Chicago, anunciou uma parceria com a International Association Professional Congress Organizer (IAPCO), tendo como objetivo a colaboração em programas de educação e produtos e serviços que atendem a indústria de eventos, buscando expandir seu alcance e as oportunidades de ambas as associações.
A IAPCO representa 115 empresas que planejam eventos em 42 países, sendo responsáveis pela organização de mais de 2.000 eventos em 2012, enquanto a PCMA representa mais de 6.000 membros em 35 países, mantendo capítulos nos EUA, Canadá e México.
Os presidentes da IAPCO, Gonzalo Constanzo, e da IAEE, David DuBois, participaram do Fórum Eventos 2013, realizado nos dias 01 e 02 de abril, em São Paulo. Gonzalo proferiu palestra no Painel O Futuro da Indústria de Eventos e DuBois abriu o evento no Painel Importância das Feiras para o Desenvolvimento Econômico e do Comércio.