CNC debate Turismo de Fronteira em Chapecó

[CNC, 12/04/2013]

O Conselho de Turismo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) promoveu, na sexta-feira, dia 12 de abril, em Chapecó (SC), o segundo Seminário Regional de Turismo de Fronteira. A iniciativa debate como a atividade turística pode promover a integração e o desenvolvimento de regiões como o oeste de Santa Catarina, que faz fronteira com Paraguai, Uruguai e Argentina.
A CNC contribui com a troca de experiências para uma política integrada, procurando levar tal debate a todas as regiões de fronteira do Brasil. “Temos um grande potencial de crescimento, mas temos que levar em conta as características regionais. É preciso conversar e trabalhar com as comunidades envolvidas, atores do poder público e empresários para atingirmos os objetivos”, afirmou o presidente do Conselho de Turismo da CNC, Alexandre Sampaio, que realizou palestra no evento.
A vice-presidente da Junta Diretiva da Organização Mundial de Turismo e presidente Executiva do Instituto Polo Internacional Iguassu, Fernanda Fedrigo, frisou que o tema é tão polêmico e desafiador quanto é relevante no aspecto econômico para o Brasil e para países fronteiriços. Ela detalhou o cenário da faixa de fronteira do País, que tem, atualmente, 10 milhões de habitantes, 11 estados e 588 municípios, além de avaliar como baixíssimo o fluxo de turistas estrangeiros, apesar do potencial de crescimento. Afinal, dos cinco milhões de estrangeiros que o Brasil recebe, aproximadamente 46% são da América do Sul, e 22% chegam ao País por vias terrestres. “Infelizmente, ainda tivemos poucos avanços com o Mercosul. O turismo pode ser o caminho para um olhar diferenciado para essas fronteiras, que são vistas como feias e ruins. Temos que ser audaciosos”, declarou Fernanda.
Realizado em parceria com a Fecomércio-SC e com o apoio da Fecomércio-PR e da Fecomércio-RS, o evento debateu a potencialidade das regiões fronteiriças do País e a qualificação em regiões fronteiriças como Dionísio Cerqueira (SC), cidade gêmea de Bernardo de Irigoyen, do Paraguai. O Seminário Regional de Turismo de Fronteira faz parte de uma discussão sobre o tema promovida pela CNC em todo o País. Esse é o segundo encontro realizado pela Confederação, que conta com mais dois ainda este semestre: Santana do Livramento (RS), em 19 de abril, e Foz do Iguaçu (PR), em junho. Uma das propostas da CNC é difundir o turismo como fator de integração e desenvolvimento da faixa de fronteira do Brasil, possibilitando intercâmbio cultural, desenvolvimento sustentável e harmonização entre povos, entre outros benefícios.