Rio de Janeiro é sede de evento sobre negócios sociais

[Por Sebrae, 17/10/2012]
Som de tambores e atabaques e as canções do bloco carnavalesco Filhos de Gandhy marcaram a abertura do 5º Fórum Mundial de Negócios Sociais, (SEWF, sigla em inglês para Social Enterprises World Forum), nessa terça-feira (16) no Rio de Janeiro. O evento segue até quinta (18), e acontece no Centro Cultural Ação da Cidadania. Pela primeira vez na América Latina, o propósito do encontro, que tem o Sebrae como um dos patrocinadores, é jogar luz sobre uma nova vertente de negócios que focam na solução de problemas sociais e ambientais, sem excluir o ganho financeiro.
“O fórum é uma grande oportunidade para mapear nichos, aproximar-se de parceiros estratégicos e consolidar um projeto nacional para os negócios sociais, importantes para a inclusão produtiva e o desenvolvimento territorial. A presença de representantes de mais de 30 países sinaliza que não se trata de modismo, mas de uma nova realidade que precisa de projetos específicos e marcos legais, para ganhar ainda mais visibilidade”, explicou o gerente nacional de Desenvolvimento Territorial do Sebrae, André Spínola.
“Medir o sucesso de um empreendimento apenas pelo lucro é um modelo que pertence a um mundo velho. Nesse novo cenário em que vivemos, os negócios sociais mostram que problemas podem ser resolvidos sem depender apenas do governo e da caridade”, reforçou o presidente da Nonprofit Finance Fund (NFF), Antony Bugg-Levine, que participou da palestra Investindo por Impacto em negócios sociais.
Na cerimônia de abertura, especialistas também falaram sobre iniciativas que podem acelerar o crescimento dos segmento, como a criação de indicadores que mensuram a aplicação de recursos que atendem às expectativas de investidores e captadores. Também foi reforçado o conceito de uma nova mentalidade empresarial, em que conceitos como Responsabilidade Social e Ambiental são naturalmente incorporados à atividade.
“No Brasil, o Sebrae assume o papel de apoiar as pequenas empresas. Esse é um trabalho de muita qualidade e que existe em poucos países”, destacou o diretor-executivo da Fundação Avina, Sean McKaughan, organização suíça que trabalha com projetos que incluem do acesso à água e reciclagem sustentável a mercados inclusivos.
Mais informações no site oficial do evento.