Brasil inicia programa de competitividade e monitoramento das tarifas hoteleiras

[Por Aero Latin News, 03/08/2012]
O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) iniciou a programa internacional de Pesquisa de Preços da Hotelaria (PPH), a fim de comparar as tarifas hoteleiras de dez cidades brasileiras com as de outras dez cidades estrangeiras.
A cada seis meses serão analisadas as informações e as tendências num Fórum de Competitividade. “Os megaeventos que receberemos durante os próximos anos, tais como a Copa e as Olimpíadas, darão ao Brasil uma visibilidade até agora única em sua história”, declarou o presidente da Embratur, Flávio Dino, e acrescentou que “para que isso tenha efeitos positivos para o turismo a longo prazo, precisamos assegurar a atratividade e a manutenção do país como um destino competitivo também em termos financeiros no cenário mundial”.
Em conformidade com a Lei de Acesso à Informação, os dados obtidos na pesquisa serão de acesso público a qualquer cidadão que os solicitar e, a cada seis meses, a Embratur realizará um Fórum de Competitividade para apresentação e análise dessas informações.
Nos encontros haverá representantes do Ministério do Turismo, da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, da Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça, do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), do Fornatur (Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo), da Anseditur (Associação Nacional dos Secretários e Dirigentes de Turismo das Capitais e Destinos Indutores), da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) e do FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil).
Além disso, as informações serão apresentadas pela Embratur nas reuniões ordinárias do Conselho Nacional de Turismo. A pesquisa levará em consideração tanto os turistas que realizam viagens a negócios como os que viajam a lazer. Para tanto serão utilizados como parâmetros o tempo decorrido entre a data da consulta e a data de início da hospedagem, o período de estada, e os destinos investigados no Brasil e no exterior.
Também serão catalogados dados referentes a três tipos de acomodações: econômico, mediano e alto conforto, bem como a menor e a maior tarifa de cada estabelecimento (incluso café da manhã). Os hotéis dos destinos brasileiros que serão investigados em termos de viagens a negócios abrangem Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasilia, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Belém, Salvador e Fortaleza.
Por sua vez, os destinos referentes a viagens de lazer incluirão Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Recife, Florianópolis, São Paulo, Manaus, Natal, Foz do Iguaçu e Gramado. No exterior serão analisados os hotéis para viagens a negócios em Santiago do Chile, Buenos Aires, Nova York, Paris, Londres, Tóquio, Viena, Dubai, Milão e Frankfurt, enquanto que para viagens de lazer serão coletados dados em Santiago do Chile, Buenos Aires, Nova York, Paris, Londres, Miami, Sidney, Barcelona, República Dominicana e Cancun.