Cooperação ABEOC e MPI Brasil reforça foco em capacitação

A presidente da Associação Brasileira de Empresas de Eventos – ABEOC, Anita Pires, e o presidente do capítulo brasileiro da Meeting Professionals International – MPI, Sidnei Alonso, assinaram acordo de cooperação entre as duas entidades na abertura do Latin America Meetings & Events Conference (Lamec), na sexta-feira (17/08), no WTC Events Center, em São Paulo. Além de prestigiar o evento com uma grande delegação de diretores e associados, a ABEOC coordenou o painel “Brasilidade e Liderança em Eventos”, com moderação de Jeanine Pires e apresentação dos cases do São Paulo Fashion Week, por Augusto Mariotti, e do Festival Mundial da Paz, por Dulce Magalhães.
Parte da Delegação da ABEOC
Segundo Anita Pires, a parceria ABEOC – MPI Brasil é um “ganha-ganha” para as duas entidades. “A ABEOC está focando em capacitação e deste modo agrega para os seus associados o valor de uma entidade internacional como a MPI, que tem como objetivo a profissionalização das pessoas que trabalham com eventos”, analisa. “Por outro lado, a MPI passa a chegar aos 18 Estados brasileiros onde a ABEOC atua”, completa Anita Pires. O próximo passo deste “casamento”, como o Acordo foi anunciado no Lamec, é a criação de um plano de ação conjunto.
Sessão ABEOC
Uma das seis salas com sessõe educativas do Lamec 2012 foi palco do painel ABEOC,  mediado pela consultora associada à ABEOC, Jeanine Pires. “Os dois cases apresentados são inspiradores”, resume Jeanine. O Festival Mundial da Paz será realizado no Parque do Ibirapuera, de 6 a 9 de setembro, além de manifestações em todas as nações do planeta. Segundo Dulce Magalhães, o Festival tem “uma nova dinâmica de se organizar um evento, com mais de 300 organizadores espalhados pelo mundo”. Em sua terceira edição, vai envolver cinco mil voluntários e deve receber 200 mil participantes. “O propósito do festival é educar para um novo olhar, mostrar novas linguagens e novos modos de ver o mundo, criar uma cultura de paz”, resume Dulce. O Festival — que tem toda a programação grátis — é financiado por contribuições de R$ 2,60 de cerca de 30 mil doadores.
O São Paulo Fashion Week também envolve grande número de pessoas – 11 mil – na sua produção. Realizado desde 1996, vai muito além da moda e do encontro da indústria têxtil, é um evento de “design e comportamento e discute a identidade do Brasil”, conforme Augusto Mariotti. Outro diferencial do SPFW é a geração de conteúdo, sendo um dos poucos eventos de moda com transmissão via web há cinco anos. Além da internet, a edição de 2011 gerou 300 horas de programação para a TV. A partir de 2012 o SPFW passa a ser realizado em outubro e março, alterando o calendário da moda no Brasil.