Placar da Hotelaria revela redução de projetos hoteleiros

[Por Hôtelier News, 27/06/2012]
A quarta edição do Placar da Hotelaria 2015, estudo elaborado pelo Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) e pela HotelInvest, aponta que algumas das cidades-sede da Copa de 2014 tiveram uma redução no número de projetos hoteleiros em viabilização. É o caso de Brasília, Porto Alegre, Recife e Salvador.
Os dados do levantamento mostram uma redução de 1 mil UHs nestes destinos. Um possível resultado disso é a queda também do risco de superoferta hoteleira. Isso acontece nas capitais pernambucana e gaúcha, que além da queda dos projetos, observam uma demanda aquecida por hospedagem.
Com um crescimento anual médio de 5% – o que o estudo considera uma “expansão reduzida da oferta”, Porto Alegre deverá chegar a 2015 com uma ocupação de 70%. Já Recife tem um crescimento de 8,3% no segmento de midscale e, em 2015, o movimento dos hotéis deve beirar os 75%.
A redução dos projetos em desenvolvimento não evita, obrigatoriamente, os riscos de superoferta. No caso de Brasília e Salvador, mesmo com menos hotéis em viabilização, ainda há alta possibilidade de problemas após o mundial de futebol.
O estudo
O Placar da Hotelaria tem como objetivo avaliar o risco de superoferta hoteleira em cidades que vão sediar a Copa do Mundo de 2014. Para medir tais pontos, a análise estima a taxa de ocupação em 2015 para cada mercado hoteleiro. O risco é maior quando a estimativa da taxa de ocupação do ano pós-Copa é mais baixa.
O estudo apontou também que cinco cidades-sede do mundial de 2014 podem ter problemas com excesso de leitos após o evento, com destaque para a cidade de Belo Horizonte.