Turismo promove desenvolvimento econômico e social no Pará

[Por Mercado e Eventos, 21/03/2012]
A estratégia do Governo do Pará de promover o desenvolvimento econômico e social através da bandeira do turismo vem dando resultados positivos. O mais recente exemplo nesse sentido é o Campeonato Sul-Americano de Desportos Aquáticos, que iniciou no dia 14 de março e vai até o próximo domingo, 25. O megaevento esportivo trouxe a Belém cerca de 600 atletas, entre eles 500 internacionais e 100 brasileiros, totalizando delegações de 13 países.
Adenauer Góes, presidente da Companhia Paraense de Turismo (Paratur), garante que uma das maiores contribuições para o turismo de eventos no Pará foi a construção do Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, e que o investimento em promoção, divulgação e marketing da oferta turística do Estado vem ao encontro do que se preconiza para fortalecer o setor. Alerta que hoje o Estado recebe um fluxo superior a 700 mil turistas por ano. “O Governo do Estado, a Paratur, são responsáveis pelas políticas públicas de fortalecimento do setor, cabendo ao empresariado investir e gerar negócios, que consequentemente geram emprego, renda e melhor qualidade de vida para a população.
O Sistema de Gestão do Turismo (Segetur), que contempla a Secretaria de Estado de Turismo (Setur), a Paratur e o Fórum de Desenvolvimento Turístico do Pará (Fomentur) é resultado desse investimento, assim como o Plano Estratégico de Turismo, apresentado no final do ano. Eventos como estes são da maior importância para a atividade, não apenas pelo aumento do fluxo e da ocupação hoteleira, mas também pela mídia positiva que gera ao Estado, divulgado a partir dessa vinda dos atletas, dos turistas”, diz Adenauer Góes.
Ele ressalta que a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) anualmente apoia grandes eventos e no Brasil e no exterior participa de um calendário de eventos que permite dar visibilidade ao Pará. Também vem investindo na profissionalização da mão de obra que atua no receptivo e oferta de serviços através do Programa Estadual de Qualificação Profissional no Turismo (Peqtur), quem em 2012 visa qualificar mais de 10 mil pessoas na capital e outros municípios.
O Pará não está na contramão do que acontece no cenário nacional e internacional. Dados divulgados pelo Ministério do Turismo (MTur) mostram os impactos positivos dos grandes eventos para o turismo. Com a aproximação da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, por exemplo, os desembarques domésticos em fevereiro deste ano no Brasil subiram cerca de 12% e os internacionais cerca de 16%. Segundo dados da Infraero, o Aeroporto Internacional de Belém, recebeu entre os meses de janeiro e fevereiro 233.271 passageiros dos quais 229.684 domésticos e 3.587 internacionais.
Defensor da realização de megaeventos no Pará, o governador Simão Jatene, que em sua primeira gestão (2003 a 2006) priorizou obras de infraestrutura turística, entre elas Mangal das Garças, Estação das Docas e o Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, garante que investir na captação desses eventos traz muitos benefícios ao Pará. “É uma oportunidade para o Estado ser visitado por pessoas que, ao voltarem para suas regiões e Estados, levam a imagem do Pará, que contribui para o incentivo ao turismo”, afirma Jatene, para quem investir em obras de infraestrutura também é prioridade.
O presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do Pará (Singtur), Fábio Romero, também considera importante a vinda de eventos como o Campeonato Sul-Americano de Desportos Aquáticos, uma vez que “trazem um público diferenciado e credencia o Pará a receber eventos ainda maiores”. Ele ressalta também que o campeonato contribui ainda mais para fortalecer o turismo no estado por ocorrer no primeiro semestre de 2012, um período de baixa estação em que a cidade normalmente recebe menos visitantes.
Hotelaria
Atualmente as capitais brasileiras somam uma capacidade de hospedagem de 554,2 mil turistas, sendo São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador as três capitais que lideram o ranking, segundo pesquisa de Serviços de Hospedagem (PSH) 2011, divulgada em fevereiro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No Pará, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH) a taxa média de ocupação fica na faixa de 63%. Entretanto, com a realização de eventos como o Sul-Americano de Desportos Aquáticos essa ocupação chega a 95%. “Isso mais uma vez reforça a nossa afirmativa de que Belém é uma cidade consolidada para o turismo de negócios”, afirma Toni Santiago, presidente da ABIH Pará.
Toni explica que todos os eventos são importantes para o turismo, a exemplo do clássico entre Brasil e Argentina, que movimentou a cidade, mas “diferentemente de um jogo de futebol, que acontece em um único dia, um jogo de atletismo como esse, um congresso ou outro é mais importante por que garante a permanência do turista na cidade por uma semana ou mais”, diz o hoteleiro.
A ABIH também revela que em 30 de dezembro de 2010 Belém tinha 9.150 leitos 4.143 unidades habitacionais (meios de hospedagens) e 62 hotéis. Em 2012 são 71 hotéis, 5.546 unidades habitacionais e 11.756 leitos, somando os nove hotéis que já foram e estão sendo inaugurados até o final do ano, a grande maioria no entorno do Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *