Rodrigo Pimentel palestrou na Equipotel Nordeste 2014

[Por Revista Hotéis, 07/05/2014]
Redução do emprego não tem relação com o aumento da criminalidade. Isto é o que afirmou agora há pouco o comentarista de segurança, Rodrigo Pimentel iniciando sua palestra na 4ª edição da feira Equipotel Nordeste que acontece até amanhã (quinta-feira) no  Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Pimentel possui muita experiência em segurança, tanto pública, como privada, e foi autor dos best–sellers Tropa de Elite I e II. Ele apresentou dados da violência em várias capitais, mostrando que Recife é a única capital do País em queda no número de homicídios, pois apresenta atualmente 28,0 homicídios por 100 mil habitantes por ano, contra 74 em 1997.
Segundo ele, esta é a primeira vez que a Copa do Mundo será realizada no momento turbulento de um país e isto afeta hotéis, restaurantes como um todo. Ele citou um estudo realizado pela ABIN – Agência Brasileira de Inteligência que aponta as ameaças a Copa do Mundo de 2014 que são: grupos de pressão (como os black blocks), movimento grevistas, criminalidade comum, torcedores, ações terroristas e organizações criminosas.
Para os profissionais do segmento hoteleiro e de restaurantes ele deixou uma dica preciosa. Cuidado na contratação de profissionais da segurança e checar a ficha do indivíduo. Outra dica foi a utilização do aplicativo gratuito sinesp cidadão que foi lançado pelo governo federal e se mostra uma eficiente ferramenta de combate a violência. “Este aplicativo possibilita verificar mandatos de prisão e checar placas de veículos, o que possibilitou recuperar 33 mil carros no ano passado”, assegurou Pimentel.
Ele enfatizou que a privacidade deve ser colocada em segundo plano quando o problema for segurança. “Muitos hotéis preferem deixar de implantar CFTV em áreas comuns para evitar interferir na privacidade dos hóspedes, mas acabam sendo penalizados por este descuido. Isto facilita a ação de quadrilhas criminosas que agem nos restaurantes, recepção e outras áreas comuns e estes crimes são tipificados como furtos simples e os autores respondem os processos em liberdade”, questiona Pimentel.
Ele apontou um exemplo de que segurança gera rentabilidade aos meios de hospedagens e citou um exemplo de um hotel em Bogotá, na Colômbia. “Este hotel utiliza cães farejadores na recepção para detectar explosivos e drogas e colocam a segurança diferenciada como um marketing, atraindo muitos executivos estrangeiros”.
E para finalizar, Pimental destacou que não existe segurança sem comprometimento de todos, pois segurança é dever do Estado, mas a população deve estar engajada. “No Brasil ocorre 80 homicídios ao dia e a maioria deles estão ligados ao uso de drogas. Então quem fuma maconha ou usa crack, ajuda a financiar o crime, pois isto que tem de haver engajamento de toda a população para reduzir a criminalidade”, concluiu Pimentel.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *