BNDES inclui condições específicas para o setor hoteleiro em suas Políticas Operacionais

A Diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) decidiu incorporar condições específicas para o setor hoteleiro nas políticas operacionais do Banco. A decisão decorre do bom desempenho do programa criado especificamente para o setor pelo BNDES, que vigorou entre 2010 e 2013, tendo realizado R$ 1,021 bilhão em operações.
O setor passa a ser atendido sob as condições da linha BNDES Finem, a mais tradicional do Banco, de apoio a investimentos. O estímulo à obtenção de certificações de sustentabilidade — que garantem menor taxa de juros — permanece inalterado, sendo aceitos o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) Edifica padrão A, para novas construções ou o Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) Edifica padrão A ou B para reformas. Destaque-se que foi acrescida a possibilidade de os juros devidos durante a carência serem capitalizados ao principal da dívida.
A inclusão de tais condições nas políticas operacionais do Banco garante aos empresários uma linha de financiamento perene, sem prazo de expiração e sem que haja um contingenciamento orçamentário. Isso só foi possível devido ao relacionamento estabelecido pelo BNDES com o setor hoteleiro por meio do programa BNDES ProCopa Turismo.
O programa ofereceu condições adequadas à realidade do setor e permitiu um salto das operações de financiamento do BNDES à construção e reforma de hotéis: em seus três anos de vigência, foram aprovadas 15 operações, no valor total de R$ 1,021 bilhão, para construção ou reforma de 17 empreendimentos. Entre 2010 e 2013, o Banco também apoiou de maneira expressiva o setor de turismo por meio de operações indiretas, pelos produtos Cartão BNDES, Finame e BNDES Automático. No período, o desembolso destas linhas foi de R$ 674,1 milhões.
Considerando os cinco anos anteriores ao ProCopa Turismo, o BNDES havia realizado apenas quatro operações de financiamento a hotéis, no valor total de R$ 41 milhões. O crescimento foi, portanto, de quase 300% em número de operações e de 25 vezes em valor financiado.
Os empreendimentos financiados pelo programa BNDES ProCopa Turismo correspondem à construção de 3.436 novos quartos para o parque hoteleiro do Brasil e à modernização de outros 1.283 já existentes.
Dentre os hotéis financiados pelo programa, cinco já foram inaugurados (1.030 quartos). Outros sete têm previsão de inauguração ainda para este ano (2.579 quartos). Das demais operações aprovadas, dois hotéis devem ser inaugurados em 2015 (600 quartos) e um em 2016 (341 quartos).
O Rio de Janeiro, que além da Copa do Mundo, sediará as Olimpíadas em 2016 foi a cidade que liderou os pedidos de financiamento no âmbito do programa, com nove operações.
Considerando que os financiamentos do BNDES não cobrem 100% do investimento total necessário, exigindo sempre uma contrapartida ou outra fonte de financiamento por parte do empreendedor, o resultado é que o valor de R$ 1,021 bilhão financiado pelo BNDES ProCopa Turismo corresponde a um investimento total de R$ 2 bilhões no parque hoteleiro do Brasil. A estimativa é que tais projetos terão gerado 5.512 empregos durante a implantação e 9.621 empregos após a implantação.
Além das operações aprovadas, o BNDES ProCopa Turismo encerrou sua vigência com mais R$ 1 bilhão em pedidos de financiamento para hotéis. Tais operações, que ainda estão em análise, migraram para carteira do BNDES Finem e, se aprovadas, serão financiadas pelas regras da nova política operacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *