Setur/RS apresentou Comitê MICE no Festuris

[Por Revista Eventos, 15/11/2013]
Lançado nesta 25ª edição do Festival do Turismo de Gramado, o Salão MICE ABEOC Brasil, é o primeiro salão que trabalha de forma específica o segmento MICE – Meetings, Incentives, Conferencing, Exhibition (Reuniões, Incentivos, Congressos e Exposições). O espaço, realizado pela ABEOC Brasil, em parceria com o Festuris e a Secretaria de Turismo do Estado (Setur/RS), além de ter expositores diretamente ligados a este segmento, contou com a realização de workshops e debates.
Foi neste espaço, no primeiro dia do Festival, que o Gerente de Projeto da Setur/RS, Álvaro Machado, apresentou o projeto da Secretaria de criar o Comitê MICE. Com a Conferência Estadual do Turismo, realizado em 2011, definiu-se que um dos desafios para a gestão era a necessidade de estabelecer estratégias específicas para o desenvolvimento do segmento turismo de negócios no Rio Grande do Sul.
O objetivo é firmar a imagem do estado como destino internacional de eventos de pequeno, médio e grande porte. “Precisamos e queremos atrair estes eventos, mas, para isso, precisamos agir de forma estruturada e articulada com todos os profissionais do setor. E aqui se coloca fundamental o Comitê MICE”, destacou.
A sigla MICE é usada em referência a um tipo específico de turismo, o de negócios e eventos, no qual o Rio Grande do Sul aposta com grande potencial. O segmento envolve US$ 30 bilhões no mundo, sendo que o turista MICE gasta US$ 285, contra US$ 68 do turista normal. Entre os tipos estão 60% convenções; 64% simpósios; 53% relacionamento; 33% lançamentos de produtos e 2% eventos institucionais. Já 57% querem aumentar os eventos verdes. A indústria representa um conjunto de serviços envolvendo organizações e promotores, empresas de transporte, equipamentos, serviços financeiros e viagens. Engloba ainda aspectos de hospitalidade, sustentabilidade e acessibilidade.
A Secretária do Turismo, Abgail Pereira, é uma das grandes fomentadoras do Comitê MICE, pois acredita na estruturação e na qualificação do setor para conquistar o desenvolvimento. “A constituição do Comitê MICE servirá para incrementar e estruturar o segmento de negócios e eventos, pois é um projeto de grande impacto para o nosso turismo. O Rio Grande do Sul precisa dessa ferramenta para tratar sua promoção e a atração de negócios e eventos de forma profissional”, disse.
O estado irá atuar de forma estratégica, formando um grupo de gestão compartilhada. Mais precisamente, uma câmara temática que deverá propor e gerenciar ações potenciais a serem desenvolvidas por meio de uma série de programas para aumentar a captação de eventos. São várias as estratégias, entre elas, a criação de um passaporte MICE, promoções em jogos, hotéis, passeios variados e o banco de eventos.
Álvaro afirma ainda que o comitê irá identificar a realização de shows e festas municipais que possam servir como aliados na permanência dos turistas, criar o Programa de Embaixadores do segmento específico, material promocional MICE, e muito mais. “Vamos definir as políticas de promoção do segmento, quanto eventos vamos atrair por ano, quanto o estado irá investir em cada um deles, quais as características e os benefícios que oferecem”, diz o gerente.