Mato Grosso define seu mapa do turismo

[Por MTur, 27/08/2013]
O mapa do turismo brasileiro vai mudar. Ele está sendo redesenhado pelos 27 estados brasileiros de acordo com as novas diretrizes do Programa Nacional de Regionalização do Turismo. O novo mapa trará além de regiões consagradas pelo turismo, apostas de roteiros que devem figurar nos próximos guias de viagem e atrair o turista nos próximos anos.
O primeiro estado a entregar seu novo traçado foi o Mato Grosso. O estado manteve suas 15 regiões turísticas, mas priorizou 89 municípios. De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento de Turismo de Mato Grosso, no ano passado, o estado fez uma nova análise e classificação do potencial turístico de cada município.
O estado usou um aplicativo virtual para organizar a cadeia produtiva do turismo e estimular a formação de uma rede, reunindo representantes do setor hoteleiro, do transporte e de restaurantes. Entre elas estão Vale dos Teles Pires, um dos principais pontos de pesca esportiva no estado, e Vale do São Lourenço, com grutas, inscrições rupestres, montanhas e fontes de águas termais com características para desenvolver segmentos do turismo de natureza.
As novas diretrizes do programa priorizam a gestão descentralizada das regiões, investimentos em qualificação profissional e infraestrutura. Ao todo são nove premissas. “A missão é ordenar o território em regiões turísticas, identificando fraquezas e pontos fortes”, afirma o coordenador de regionalização do ministério, Jun Yamamoto.
O mapa da regionalização é uma ferramenta importante porque orienta a atuação de políticas e investimentos do MTur pelo país. Os primeiros estados a apresentarem o novo mapa foram Mato Grosso, Goiás, Espírito Santo e Minas Gerais. O prazo vai até 2 de setembro.
Assim que o novo mapa for concluído, o MTur classificará o nível de desenvolvimento (que varia de 1 a 3) de cada uma das regiões turísticas e definirá as necessidades de investimento de cada localidade.
Clique aqui para ouvir declaração do coordenador-geral de Regionalização do MTur, Jun Yamamoto.
Abaixo, as regiões selecionadas e suas características:
1 – Vale do Teles Pires – É um dos principais pontos de pesca esportiva no estado. Atrai amantes da pesca do Brasil e do exterior
2 – Cristalino – É um local típico para o turismo de observação de aves, mamíferos, borboletas e plantas.
3 – Noroeste – Amazônia – Com matas virgens, rios caudalosos, fauna e flora exuberante, a região pode ser aproveitada para o ecoturismo e para a prática da pesca esportiva.
4 – Águas do Vale do Cabaçal – Tem vocação para o turismo rural e ecoturismo com um grande número de rios, cachoeiras, corredeiras, cavernas, serras, montanhas e um grande vale.
5 – Médio Araguaia – A região caracteriza-se pelas inúmeras regiões agrícolas e pastoris às margens do Rio Araguaia.
6 – Pantanal Matogrossense – É uma planície com fauna nativa adaptada às mudanças do ciclo das águas, com cheias e vazantes, com vocação para o turismo contemplativo.
7 – Alto Araguaia –  Tem a nascente do Rio Araguaia, próxima ao Parque Nacional das Emas, que divide os estados de Goiás e Mato Grosso.
8 – Médio Norte – Local onde se destaca parte importante da produção de grãos do país, com cenários típicos do cerrado, com rios, córregos, corredeiras e cavernas.
9 – Nascentes Platina Amazônica – É uma região que inclui a divisão de águas das Bacias Hidrográficas Platina e Amazônica.
10 – Baixo Araguaia – É palco de uma das maiores bacias hidrográficas do país.
11 – Região Metropolitana – Envolve Cuiabá e Várzea Grande, com infraestrutura para realização de eventos, rede hoteleira e dois centros de convenções.
12 – Rota dos Ipês e das Águas – Região com muitos rios córregos, corredeiras e cachoeiras típicas do cerrado. Destaque para o município de Rondonópolis.
13 – Vale do Guaporé – Encontro do Pantanal com a Amazônia, onde espécies das duas regiões se misturam, em um fenômeno raro que desperta o interesse de cientistas.
14 – Vale do São Lourenço – O vale tem grutas, inscrições rupestres, montanhas e fontes de águas termais com características para desenvolver segmentos do turismo de natureza.
15 – Portal Amazônia – O município de Alta Floresta se destaca pelas atividades de ecoturismo, como a pesca esportiva e a observação de pássaros e negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *