Turismo movimentará R$ 241 milhões durante a Copa das Confederações

[Por Aquarela 2020, 17/06/2013]
Os turistas estrangeiros e brasileiros que visitarem as sedes da Copa das Confederações deixarão, nas seis cidades, mais de R$ 241 milhões durante os 15 dias da competição. O cálculo foi feito pela Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) com base no número de turistas e o tempo de permanência do visitante nas cidades que estão sediando os jogos.
Foram vendidos 13.759 ingressos para estrangeiros e 111.569 para brasileiros. Pela previsão da Embratur, o turista estrangeiro fica cerca de 10 dias na cidade, já o brasileiro, permanece três dias no local do jogo.
Os técnicos do Instituto tomaram o preço médio das tarifas hoteleiras e acrescentaram R$150 para outros gastos como alimentação, compras e transporte. Os valores dos ingressos dos jogos e das passagens aéreas não foram contabilizados.
“A Copa das Confederações é um evento voltado mais para o público interno, é um teste para a Copa do Mundo de 2014, mesmo assim, está atraindo torcedores de outros estados e também de outros países. Este fluxo movimenta todo o setor do turismo e gera este impacto de R$ 241 milhões nas seis cidades-sede, aquecendo a economia local”, explica o presidente da Embratur, Flávio Dino.
O Rio de Janeiro deve ser a cidade que mais receberá turistas estrangeiros – cerca de 4.748 visitantes – que gastarão cerca de R$ 28.746.834,00. A segunda cidade que mais deve atrair estrangeiros é Fortaleza. Estima-se que 4.193 turistas vindos do exterior gastarão cerca de R$ 17 milhões na capital cearense. Belo Horizonte está em terceiro lugar, entre as seis sedes da Copa das Confederações, que mais atrai estrangeiros. Os 2.183 turistas que compraram ingressos para os jogos do Mineirão devem desembolsar cerca de R$ 11 milhões na cidade.
O gasto total de turistas estrangeiros para a Copa das Confederações é de cerca de R$ 69 milhões. Já os turistas brasileiros deverão gastar R$ 172 milhões durante os quinze dias do torneio.
Veja a previsão de gastos de turistas estrangeiros e brasileiros nas seis cidades-seda da Copa das Confederações: