Entrevista com Paulo Mentone, gerente comercial do Beach Park.

[Por Diario do Turismo, 25/02/2013]
meia hora do centro de Fortaleza e do Castelão, primeiro estádio brasileiro reformado para receber a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, e a 15 minutos do Centro de Convenções de Fortaleza, o Beach Park insere-se no contexto da luminosidade do Nordeste e possui uma infraestrutura hoteleira que o torna um destino em si mesmo. O complexo oferece tanto hotéis para os mais diferentes tipos de hóspedes, um parque aquático considerado o mais completo da América Latina e, além disso, uma praia com todas as qualidades das belezas naturais do Ceará.
“Entendemos que temos um grande potencial também para receber turistas que vêm para os grandes eventos, não só a Copa do Mundo mas de todos os eventos que ocorrem em nossa região”, afirma Paulo Mentone, gerente comercial do Beach Park. “A gente oferece um parque aquático incrível, que é o maior da América Latina e com uma qualidade para a família toda. Então quem vai participar de um evento no Beach Park, acaba trazendo (e agradando) a família com o parque e com as atrações”, diz o experiente executivo entusiasmado com o seu trabalho. O DIÁRIO o entrevistou, acompanhe:
DIÁRIO: Paulo, qual o balanço comercial do Beach Park em 2012?
PAULO MENTONE: O ano de 2012 foi muito bom para nós. Nós evoluímos, crescemos em torno de 10% em faturamento em relação ao ano anterior. Consolidamos vários negócios e foi quando a gente incorporou ao nosso grupo o nosso terceiro hotel, o Oceani Beach Park Resort, que é um novo segmento de mercado. O Oceani trouxe junto com ele salas de eventos e novas acomodações. A unidade entrou para o grupo a partir da metade do ano passado (julho de 2012). A estrutura já existia, nós assumimos a gestão. Ele tem um modelo um pouco diferente dos nossos outros dois hotéis, o Suítes Resort e o Acqua Resort, que são totalmente focados em famílias. O Oceani, no entanto, tem uma estrutura para eventos, isto nos deu um novo segmento para atuar no mercado e foi muito bom. Em 2012 nós tivemos um ótimo resultado em todos os sentidos.
DIÁRIO – Vocês logicamente devem ter períodos de sazonalidade. O que fazem para manter esses níveis de oferta e de procura em períodos de baixa temporada?
PAULO MENTONE- A alta temporada para nós começa em meados de dezembro e vai até o Carnaval. Julho e todos os feriados são alta temporada também. O resto do ano nós temos períodos de baixa temporada sim, e a gente adota algumas estratégias. Trabalhamos com nichos de mercados como escolas, melhor idade e segmentos específicos de mercado como eventos, workshops internos, e identificamos públicos que possam viajar fora do período de férias. Isso funciona muito bem, mas um negócio que para nós é muito importante é o tempo compartilhado o time-sharing que funciona muito bem na baixa temporada e nós temos um clube de viagens, o Vacation Club que funciona muito bem neste período.