Brasil tem destaque nos resultados globais da Iata

[Por Panrotas, 04/02/2013]
O tráfego internacional de passageiros cresceu em 2012, mas o de cargas diminui. Segundo a Iata, o aumento no tráfego de passageiros foi de 5,3%, em comparação ao ano anterior, enquanto o transporte de cargas teve diminuição de 1,5%. “O tráfego de passageiros cresceu fortemente em 2012, apesar das notícias ruins da economia, que dominaram os últimos 12 meses. Isso mostra quão importante é a aviação global para a conexão do mundo atual”, disse o CEO da Iata, Tony Tyler.
Ele comemorou o load factor no ano, de 79,1%, próximo ao recorde alcançado e ressaltou que a demanda internacional cresceu mais rápido que a doméstica: 6% contra 4%. Ainda de acordo com o balanço anual da Iata, as companhias aéreas deverão atingir lucro de US$ 6,7 bilhões no ano passado, apesar do alto preço dos combustíveis. “Mas a margem bruta é de apenas 1%, o que tem feito as empresas apenas manter a cabeça acima da água”, comparou Tyler.
Analisados regionalmente, os melhores resultados foram alcançados no Oriente Médio, com crescimento de 15,4% no tráfego de passageiros. Na América Latina, esse índice foi de 8,4%, enquanto na África chegou a 7,5%. Na Europa, o aumento foi de 5,3%. A oferta global cresceu mais lentamente que a demanda em 2012, com aumento de apenas 4%, sempre na comparação com o ano anterior.
BRASIL
Em relação ao tráfego doméstico de passageiros, o Brasil teve destaque, com o segundo maior índice de aumento, de 8,6%, atrás apenas da China, com 9,5%. Segundo a Iata, ambos registraram aumento de oferta, sendo o resultado brasileiro de 4,8%, enquanto o chinês foi de 11,3%. O load factor chinês permaneceu alto em 2012, alcançando 80,9%, enquanto o brasileiro foi de 71,8%, de acordo com a Iata.
“Entramos em 2013 com certo otimismo. A confiança nos negócios está aumentando. A situação na Eurozona está mais estável que há um ano. Não há sinal de redução no preço dos combustíveis e o PIB projetado deve crescer apenas 2,3%, mas o aumento na confiança nos negócios deverá ajudar o mercado de cargas a se recuperar das perdas de 2012”, disse Tyler. Para este ano, a projeção da Iata é de aumento de 4,5% no tráfego de passageiros e de 1,4% no transporte de cargas.