"Copa é um grande negócio para o Brasil", diz Ronaldo

Por Portal 2014, 21/02/2014]
Em uma bancada que tinha o presidente da CBF, José Maria Marin, o secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, o diretor de Marketing da Fifa, Tierry Weil, e o vice-presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, o destaque da entrevista coletiva de encerramento do Seminário das Seleções, em Florianópolis, foi o ex-jogador Ronaldo Fenômeno.
Aos 37 anos, Ronaldo, agora, é integrante do Comitê Organizador Local da Copa. Por isso, ele é enfático ao enaltecer as possibilidades que o Brasil terá recebendo a competição neste ano.
“A grande maioria está a favor da Copa do Mundo. Ficarei até o fim tentando mostrar a essa pequena minoria que a Copa é um grande negócio para o Brasil e vai deixar centenas de legados. Temos o exemplo do Rio Grande do Sul, que, por causa da Copa, terá um PIB de R$ 500 milhões”, disse Ronaldo.
Campeão do Mundo em 94 e 2002, Ronaldo afirma que gostaria de disputar o Mundial no Brasil. O peso atual, no entanto, não está à favor do maior artilheiro de todas as Copas, com 15 gols.
“Adoraria ter alguns anos a menos e muitos quilos a menos para jogar no meu país. Seria fantástico, mas o tempo não ajudou”, afirmou Ronaldo.
Mesmo com a confiança o sucesso da Copa, Ronaldo alertou as 12 cidades-sede para a importância da construção das estrutura que compõe a Fan Fest. Para ele, o local é uma extensão do estádio, já que a maioria do público não conseguiu comprar ingressos.
“A grande maioria não poderá estar no estádio, então a Fan Fest é uma grande oportunidade para todos os torcedores participarem da festa. A população brasileira merece isso, mesmo que não indo ao estádio. Então é muito bom nós garantirmos que todos as Fan Fest ocorram para todos possam participar desta festa.”, concluiu Ronaldo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *