No Sul, Florianópolis destaca-se por números positivos

[Por Hotelier News, 06/11/2012]
A hotelaria brasileira teve, de modo geral, uma queda em suas taxas de ocupação durante o primeiro semestre de 2012, conforme apontou o último InFohb. Exceção a este cenário foi a cidade de Florianópolis que, segundo o estudo, teve variação positiva nos três indicativos pesquisados: RevPar (receita por apartamento disponível), ocupação e diária média.
A capital catarinense fechou o período com uma movimentação de 69,12% em seu parque hoteleiro, o que representa um crescimento de 6,3% em relação ao primeiro semestre de 2011. O mês de janeiro foi o pico da ocupação – neste início de ano, os meios de hospedagem da cidade tiveram 81,8% de ocupação.
A diária média de Florianópolis teve alta de 9,2% na primeira metade deste ano, totalizando R$ 179,05. Já o RevPar chegou a R$ 123,75 e teve o maior incremento entre os três índices: cresceu 16,1% em relação a 2011.
Outras capitais
Mesmo em queda, a ocupação geral da hotelaria da região Sul foi de 64,02% – sendo que em Curitiba o número foi de 63,03%, e em Porto Alegre, 68,22%. A capital gaúcha teve o maior RevPar entre as cidades destacadas pelo InFohb: R$ 149,92, um aumento de 10,6% sobre os seis primeiros meses de 2011.
A diária média da cidade também foi a mais alta da região, fechando o período com R$ 219,76 e tendo pico de R$ 231,56 no mês de março.
O InFohb
Produzido pelo Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) em parceria com o Senac São Paulo, esta edição do estudo referente ao primeiro semestre de 2012 foi divulgada na última edição da Feira das Américas – Abav.