Perfil do turista da cidade começa a mudar

[Por Diário do Nordeste, 18/10/2012]
Turismo de eventos e negócios na Capital tem conquistado cada vez mais espaço entre os estrangeiros
As belezas naturais de Fortaleza continuam sendo o principal motivo da vinda de turistas para cá. No entanto, entre 2005 e 2011, já é possível notar uma mudança nessa tendência. De acordo com os dados do Ministério do Turismo, há sete anos, 71,4% viajavam à Capital pensando em lazer. Já em 2011, foram somente 48,7%. O espaço foi perdido, principalmente, para o turismo de negócios e eventos, que, nesse intervalo de tempo, passou de uma fatia de 8,8% para 16,5%. Com o Centro de Eventos do Ceará, esse percentual tende a crescer ainda mais.
Dentro do universo de estrangeiros adeptos do lazer, dados mais recentes apontam menos interesse em praias e mais em ecoturismo FOTO: TUNO VIEIRA
Dentro do universo de estrangeiros adeptos do lazer, o panorama também mudou. Em 2005, 84,1% viam nas praias e no sol o incentivo principal de Fortaleza. Já os dados mais recentes apontam para 77,8%. Os turismos de ecologia, aventura, cultura e esportes passaram de uma fatia de 13% para quase 20% em sete anos.
Gastos
O levantamento informa, ainda, que cada um dos turistas gasta, em média, US$ 90 por dia na Capital. Em 2005, valor não passava de US$ 73. A permanência média deles, conforme a pesquisa, é de 16 dias.
De onde vêm?
A nacionalidade que mais se apegou a Fortaleza como destino turístico foi a italiana. Para se ter uma ideia, mais de um quarto (ou 25,7%) de todos os estrangeiros que viajam para a cidade cearense vêm da Itália. Os portugueses aparecem em segundo lugar do ranking (14,5%). Estados Unidos, Espanha e Argentina seguem a lista, que ainda conta com Holanda, França, Alemanha, Suíça e Noruega. A Capital está entre as cinco mais visitadas do País por espanhóis, holandeses, italianos e portugueses.
Segundo o estudo, a maior parte (48%) dos entrevistados vem conhecer Fortaleza sem a companhia de amigos e familiares. Outros 15,6% viajam com parentes e 14%, com amigos.
No que diz respeito à hospedagem, a opção por hotéis tem ficado menos nos últimos anos, passando de 68,5% em 2005 para 49,7% no ano passado. As residências de amigos e parentes ganharam preferência, saindo de 17% para 32%. Há ainda os que já possuem casa na cidade (6,4%) e aterrissam aqui para passar temporadas.
No País
A pesquisa foi efetuada em todo o País, entrevistando 39 mil turistas em 16 aeroportos internacionais brasileiros. Nacionalmente, o desejo de retorno é similar ao de Fortaleza. Conforme o Mtur, nove em cada dez manifestaram vontade de voltar para conhecer mais o Brasil.
Nacionalmente, cerca de 80% dos visitantes de outros países vieram da América do Sul (48,4%) e da Europa (29,8%), com destaque para a Argentina, local de origem de cerca de 1,5 milhão dos que desembarcaram no Brasil. A internet foi a principal fonte de informações sobre o turismo para 32% dos viajantes. Desde 2005, as páginas eletrônicas são a única fonte que registrou crescimento continuado.
SP lidera
São Paulo aparece no topo das cidades que mais receberam estrangeiros, com 26,5% do total, seguida do Rio de Janeiro (24,9%) e de Foz do Iguaçu (11,4%). Quando o motivo da viagem é lazer, no entanto, os cariocas ultrapassam os paulistas. A cidade do Rio de Janeiro responde por 26,7% de todos os 2,5 milhões de estrangeiros que desembarcaram no Brasil à procura de lazer. (VX)