Norma de sustentabilidade em eventos é lançada no Rebouças

[Por Convenções Rebouças, 21/08/2012]
O lançamento da ABNT NBR ISO 20121:2012 que reconhece e certifica os eventos sustentáveis, aconteceu no dia 13 de agosto no Rebouças. O coordenador da Comissão de Estudo Especial de Sustentabilidade na Gestão de Eventos da ABNT, Daniel de Freitas, ressaltou a importância da norma e detalhou as novas diretrizes.
A Norma ISO é resultado de profundos estudos de 35 países, entre eles o Brasil, que orienta o mercado de eventos e propõe uma discussão sobre a sustentabilidade já no pré-evento. Aplicando os requisitos da NBR, o desafio será de aprimorar os processos de criação e organização dos eventos, optando por alternativas que priorizem os aspectos ambientais, sociais e econômicos. O uso racional de recursos naturais, a redução da emissão de poluentes, a reciclagem de materiais e a acessibilidade estão entre essas medidas.
O evento contou com a presença de associações do setor de eventos e turismo e de autoridades públicas, entre eles o Diretor de Relações Externas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Carlos Santos Amorim Junior, o Presidente Executivo da UBRAFE e Diretor do Sindicato das Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras (SINDIPROM), Armando Arruda de Campos Melo, o presidente da IBEV, Rogério Hamam; a representante da ABBTUR/SP, Mônica Schiaschio; a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, doutora Linamara Rizzo Battistella e a Presidente da Associação Brasileira de Empresas e Eventos Nacional (ABEOC), Anita Pires.
Olimpíadas da sustentabilidade
A ISO 20121 também esteve pautada em Londres, para onde os olhos de todo o mundo estiveram voltados durante os Jogos Olímpicos. Os organizadores desse megaevento, em conjunto com os órgãos governamentais, definiram estratégias e diretrizes que respeitam o meio ambiente e a comunidade local. Essas medidas estão em conformidade com o certificado, que também poderá ser utilizado na Copa de 2014 e nas Olimpíadas do Brasil em 2016.
Para a construção do Parque Olímpico, por exemplo, foram definidos procedimentos baseados na sustentabilidade. Na área desabrigada, foram demolidos 240 prédios, sendo que 77% foram reciclados. Os rios no entorno do complexo foram despoluídos e o transporte por hidrovias tornou-se realidade. Outro bom exemplo foi a construção de um ginásio por meio da reciclagem de 14 milhões de xícaras.
Os organizadores também se atentam para a utilização de recursos, escolha de materiais, conservação dos recursos naturais, redução das emissões de poluentes, preservação da biodiversidade e da natureza, transporte renovável, e descarte e reciclagem do lixo. Já no âmbito social, as Olimpíadas se basearam nas normas de trabalho, justiça social, direitos indígenas, questões culturais, acessibilidade, inclusão, geração de empregos e capacitação.