IV Festival Internacional do Chocolate da Bahia movimenta mais de R$ 20 milhões

[Por Tribuna da Bahia Online, 03/07/2012]
O IV Festival Internacional do Chocolate da Bahia, realizado durante os últimos cinco dias em Ilhéus, uma das maiores regiões produtoras de cacau do país, registrou um movimento superior a R$ 20 milhões em negócios para a economia do sul do estado.
O evento, que aconteceu no Centro de Convenções da cidade, foi encerrado ontem, dia 02 de julho, fortaleceu a produção do chocolate fino e artesanal, gerou novas perspectivas para o setor do turismo na Costa do Cacau e atraiu novos investimentos para a cadeia produtiva do cacau.
“A gente provocou uma onda. A produção do chocolate em Ilhéus é, talvez, a melhor saída para a crise do cacau. Fazer um cacau melhor, estimular o surgimento de novas fábricas de chocolate, ganha o turismo, o agronegócio e a economia. Eu me arrisco a dizer que, em dez anos, talvez sejamos o principal ponto chocolateiro do Brasil e, por conseqüuência, da América Latina”, afirmou entusiasmado com o resultado positivo do Festival, o publicitário Marcos Lessa, organizador do evento.
Em função do Festival, que movimentou Ilhéus ao longo de cinco jornadas, a rede hoteleira local teve ocupação superior a 90%. Conforme Marcos Lessa, em relação ao primeiro Festival, realizado em 2009, o crescimento do número de visitantes foi de 300%, com cerca de 30 mil pessoas percorrendo os 49 estandes da Feira do Chocolate. “Na primeira edição tínhamos apenas 13 estandes.
Desta vez tivemos participantes de vários países, dois contratos assinados para a construção de fábricas na região, cada um com investimentos a partir de um milhão de reais, iniciativas envolvendo fábricas menores. Com isso, o projeto continua, promovendo a visibilidade destas ações de ordem econômica, turística e cultural. Portanto, o saldo do Festival foi maravilhoso”, afirmou.
Para Guilherme Galvão, presidente da Associação dos Produtores de Cacau da Bahia, o IV Festival Internacional do Chocolate da Bahia foi “altamente positivo. Tivemos gente do Paraná querendo comprar equipamentos aqui para montar uma fábrica lá. Tem uma fábrica do Rio de Janeiro que quer comprar o nosso cacau. São negócios que começaram aqui. Entretanto, a saída para a crise do cacau é resolução do problema do endividamento e crédito novo para crescimento da produção do cacau”, observou.
Com o Festival consolidado como um dos principais eventos da região, Ilhéus busca também ser uma referência na produção do melhor chocolate.
Com grande variedade de cacau e novos investimentos crescerá a produção, em especial do cacau fino ou gourmet, além do orgânico, e o surgimento de pequenas e médias indústrias com produção de chocolate desde a amêndoa até o produto final. O evento confirmou que a Bahia já atrai os olhos, o paladar, do Brasil e do mundo, neste segmento que é quase uma unanimidade em consumo.
O IV Festival Internacional do Chocolate da Bahia agregou a cadeia produtiva do cacau e do chocolate, expôs e vendeu produtos derivados, promoveu cursos e palestras sobre o tema “Amado Chocolate na Terra de Jorge” em comemoração ao centenário de nascimento do escritor baiano Jorge Amado e promoveu uma série de atividades culturais, com shows de artistas regionais e nacionais. No ano que vem tem mais Festival do Chocolate na terra de Gabriela.
Agora, o circuito estadual de eventos deste ano envolvendo o chocolate reserva para os apreciadores do delicioso produto o Fórum Mundial do Chocolate, amanhã e depois, dias 04 e 05, e o Salon du Chocolat da Bahia, de 06 a 08 de julho, em Salvador ( Centro de Convenções).
Estas ações que mudam os mercados mundiais do chocolate e do cacau para o Brasil são iniciativas da APC, com realização da empresa M21/MVU Eventos, em parceria com o Governo da Bahia, através da Seagri, Setur, Sedir, CAR, Ceplac, Ministério da Agricultura, Sebrae e apoio do governo do Pará, além de produtores, fábricas e empresários.