Hotelaria carioca recupera parte da ocupação para Rio+20

[Por Hôtelier News, 11/06/2012]
Após o acerto entre a indústria hoteleira local, o governo federal e a Terramar – operadora de turismo contratada pelo MRE (Ministério das Relações Exteriores) para intermediar a venda de pacotes para as delegações estrangeiras participantes do evento -, a hotelaria carioca gradualmente recupera a ocupação inicialmente prevista para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorre entre os próximos dias 20 a 22.
Além da queda no preço, a negociação incluiu também o fim da exigência de hospedagem mínima de sete dias, o que representará uma diminuição de até 60% no custos para as delegações que haviam reservado pacotes e a devolução de quartos para os hotéis por parte da operadora.
Para os hoteleiros ouvidos pela reportagem, o problema foi, desde o início, um “show de equívocos” de todas as partes envolvidas, o que inclui o governo federal por conta de ter imobilizado a hotelaria ao reservar uma grande quantidade de quartos sem ter dimensão exata que a conferência geraria, e a Terramar, que colocou uma sobretaxa de 25% sobre a tarifa negociada pelos hotéis, inflacionando os preços dos pacotes e provocando a desistência de diversas delegações internacionais.
“Com o preço nas alturas, a desistência das delegações foi natural”, comenta Paulo Marcos Ribeiro, diretor de Marketing da rede Windsor, acrescentando que a ocupação nos hotéis da cadeia hoteleira está na casa de 70% no momento. “É preciso aguardar os próximos três dias para saber a taxa média que alcançarei durante o evento. Mas se chegar a 90% já estará bom”, pondera.
Embora a taxa média prevista (de 83%) ainda seja menor do que os 95% inicialmente projetos pela ABIH-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro), para a semana da Rio+20 os quartos outrora reservados e devolvidos pela Terramar deram autonomia aos hotéis para negociá-los novamente. A maior parte das devoluções foram na semana anterior ao evento (de 12 a 19). No restante, a operadora manteve as reservas, principalmente para os dias de realização da conferência.
“Há dez dias a Terramar devolveu o valor das diárias. Minha ocupação, que até então estava em 95% durante todo o período o evento – que inclui ainda as atividades pré-Rio+20 e que vai de 12 a 22 de junho -, caiu para 64%”, conta Hélida Gomes, gerente de Vendas do Porto Bay Hotels & Resort. “Mantive a política tarifária que negociara com a Tereramar e rapidamente recuperei minha ocupação. Hoje, estou com 84% para a pré-Rio+20 e com 100% durante a conferência. Não tenho do que reclamar”, completa.
Quem também conseguiu uma recuperação rápida foi o Praia Ipanema Hotel. Segundo Deise Rodrigues, gerente Comercial do empreendimento, a Terramar chegou a devolver 80 apartamentos para o período de 12 a 18 de junho. “A partir do dia 19, o hotel está lotado – e cerca de 80% desta ocupação é proveniente da Terramar. No período anterior ao evento, a taxa está em 86%”, conta, mencionando que esta ocupação é basicamente formada por um mix de clientes corporativos, vendas eletrônicas e só um pouco da demanda restante da operadora do evento. “Acho que pelo fato de o hotel ser pequeno – pois tem apenas 100 UHs -, a recuperação foi mais fácil”, avalia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *