Embratur debate como incentivar turismo de fronteira no Acre

[Por Aquarela2020, 11/11/2011]
O presidente da Embratur, Flávio Dino, recebeu ontem (10), na sede da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), em Brasília, representante do Governo de Acre, para discutir o incremento da promoção do Acre como destino turístico para os países vizinhos. O assessor especial da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio, Serviços, Ciência e Tecnologia do Estado do Acre, Jair dos Santos, ressaltou que com a conclusão da rodovia Interoceânica, o Acre se torna mais um portal de entrada para o Brasil, com ligação para o Peru, passando pela Bolívia. “Sendo assim, já estamos focando nossos olhares para as oportunidades que surgem na atração de turistas, motivados por negócios ou lazer”, disse Dino.
Para a deputada Federal Perpétua Almeida (PCdoB-AC), que acompanhou o encontro, além da implantação da ZPE (Zona de Processamento de Exportação), que possibilita a instalação de empresas voltadas para a produção de bens para serem comercializados no exterior, o incremento turístico é uma peça fundamental para o desenvolvimento da região. “Queremos que a Embratur reconheça a Amazônia a partir do Acre e fortaleça a divulgação dos atrativos da região, principalmente na Bolívia e no Peru. O corredor rodoviário aproxima o Brasil dos países vizinhos, sendo assim, queremos atraí-los”, ponderou Perpétua.
Na ocasião, Flávio Dino falou do Frontur (Programa Turismo de Fronteiras), criado recentemente pelo Mtur (Ministério do Turismo). Segundo Dino, a iniciativa prevê o fortalecimento do turismo de curta distância e desenvolvimento do turismo entre os países sul-americanos, principalmente entre os do Mercosul. “A ideia é incrementar o fluxo de turistas entre os países vizinhos, auxiliar a preparação dos estados fronteiriços para os megaeventos de 2014 e 2016, fortalecer a formatação de roteiros turísticos integrados e aprimorar os sistemas de informações e de atendimentos dos portões de entrada. Além disso, o programa propõe o aperfeiçoamento dos mecanismos de coleta e tratamento de dados estatísticos, como o fluxo de turistas entre os países”, completou Dino.
Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Santa Catarina estão entre os estados contemplados pelo programa. Neste semestre, as ações do Frontur serão concentradas em Mato Grosso e no Amazonas – estados-sede da Copa do Mundo FIFA 2014 –; no Acre, tendo em vista a Interoceânica, que fará a ligação entre Rio Branco e Lima; e no Amapá, em razão da integração Brasil-França.
Fronteiras brasileiras
O Brasil faz fronteira ao longo de 15,7 mil quilômetros, que compreendem 11 estados do país e 588 municípios. Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), 80% do turismo internacional é realizado entre países próximos ou que compartilham limites geográficos.
No Brasil, a entrada de turistas por meio das fronteiras representa 39% do movimento turístico. Na França, mais de 70% dos visitantes são de países fronteiriços, enquanto no México, mais de 80%.
Os viajantes da América do Sul são os que mais apreciam destinos brasileiros: em 2010, foram 2.384.186 visitantes. No mesmo período, os europeus somaram 1.614.864 e os viajantes da América do Norte, 734.998.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *