Presidente da Embratur participa de debate sobre grandes eventos esportivos

[Por EMBRATUR, 25/08/201]
O presidente da Embratur, Flávio Dino, dividiu debate com o ministro dos Esportes, Orlando Silva na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República, na manhã de hoje, 25, no Palácio do Planalto. Com o tema “Grandes Eventos Esportivos: Copa do Mundo FIFA 2014 e Jogos Olímpicos”, os participantes discutiram sobre as possibilidades dos megaeventos assegurarem um legado positivo para a sociedade brasileira em termos sociais, ambientais e econômicos.
No evento, Flávio Dino falou sobre o Plano Estratégico de Promoção Internacional do Brasil e sobre o bom momento do turismo brasileiro. “Estamos no melhor ano do turismo e no melhor ano de entrada de divisas no país. Temos nos próximos eventos a chance de dar o grande salto, sair do patamar dos 5,1 milhões de turistas estrangeiros e conseguir, de modo sustentável, os 10 milhões que esperamos em 2020”, ressaltou.
Dino disse também que 2011 é um ano de organização e transformação e que a Embratur está cumprindo as metas estabelecidas. “Já 2012 será um ano de atração. Queremos atrair os turistas estrangeiros. Em 2013, vamos fazer um trabalho de ativação, intensificando as ações. Finalmente em 2014, será a ano de emoção. As ações serão voltadas para darmos as boas vindas aos visitantes estrangeiros”, explicou ele.
Na ocasião, o ministro Orlando Silva fez um panorama sobre os desafios, avanços e legados da Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil e falou sobre temas sensíveis, como: segurança, aeroportos, mobilidade urbana e infraestrutura. “No que diz respeito aos aeroportos, sabemos que não é assunto para Copa e sim para hoje. É evidente que temos muitos desafios, mas já tivemos grandes avanços. Temos 25 projetos em 13 aeroportos. Deste total, 20 já estão bem conduzidos. Outro ponto importante é que até 2012, esperamos que oito dos 12 estádios estejam prontos”, destacou.
No final da reunião, Orlando Silva propôs aos conselheiros um fórum sindical para que haja uma discussão mais detalhada com a participação de outros membros e autoridades. “O objetivo é aprofundar as relações de trabalho para chegarmos a mais conclusões. Vamos cuidar dessa Copa que será de todos os povos. A expectativa é que o mundo conheça um país com todas as suas características que vão muito além da diversidade cultural e natural”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *