O Turismo é maior

Nota aprovada na 63º Reunião Ordinária do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo – FORNATUR, realizada em Brasília, a 16 de agosto de 2011.

“O TURISMO É MAIOR”
O turismo brasileiro é maior que eventuais erros, ou equívocos administrativos. 7 milhões de empregos e 75 bilhões de reais movimentam uma cadeia produtiva de mais de 52 elos com quase todos setores da economia.
Através do turismo o Brasil se relaciona com dezenas de países em todo o mundo, como destinos ou mercados emissivos.
E além de constituir o 4º item da pauta de exportações brasileiras, o turismo contribui decisivamente na atração de investimentos internacionais nos setores e segmentos turístico do país.
Assim é que os Secretários e dirigentes estaduais de turismo manifestam sua profunda inquietação com a possibilidade de uma redução do ritmo de funcionamento dos órgãos federais de turismo, em decorrência dos processos de investigação vigentes. Menos pelo volume de recursos, de convênios e financiamentos pelo Ministério do Turismo e mais pela saudável e produtiva interface permanente dos setores público e privado na atividade turística. Medidas paralisadoras das atividades do Ministério longe de atenuar os efeitos da óbvia crise administrativa ministerial poderão agravá-la.
Desde sua criação em 2003, o Ministério do Turismo tem atuado de forma estratégica para o desenvolvimento do turismo brasileiro através da construção e implementação de políticas públicas próprias para o setor, que teve sua criacao, comemorada pelas diversas organizações ligadas ao turismo, tendo em vista a perspectiva de fortalecimento dos setores que formam essa cadeia produtiva no País.
Como órgão oficial de turismo em âmbito nacional, a principal atribuição deste Ministério é gerir o desenvolvimento do turismo no Brasil. Para isso, em abril de 2003, lançou o Plano Nacional de Turismo 2003-2007, cuja implementação o consolidou como articulador do processo de integração dos diversos atores do turismo, tendo sido fundamental para que o turismo despontasse como um dos fatores de construção da cidadania e de integração social, em consonância com as políticas federais, o que se consolidou nos planos subseqüentes. Além disso, o Ministério do Turismo tornou-se um importante instrumento para a gestão descentralizada e participativa da atividade turística, incentivando a criação de fóruns de discussão entre o poder público, a iniciativa privada e o terceiro setor em todo o território nacional.
Conhecedores do funcionamento e da estrutura do Ministério do Turismo, uma conquista importante do setor, temos plena ciência e profunda convicção sobre a honrabilidade e correção da maioria esmagadora de seus servidores. O corpo técnico do MTur é parte do patrimônio turístico brasileiro.
Entendemos também que o Ministro Pedro Novaes e os auxiliares que com ele entraram no Ministério há pouco mais de 3 meses não podem deixar de merecer a confiança dos parceiros públicos e privados do MTur, inclusive os Secretários e Dirigentes de Turismo de Estados.
Assim é que como cidadãos e gestores públicos, conclamamos as autoridades responsáveis pela apuração de eventuais crimes ou irregularidades a agirem com o máximo rigor e com a maior velocidade possível, para punir os verdadeiros culpados e retirar do ambiente do turismo a nuvem da suspeição e a sombra da paralisação.
São empregos, renda e riqueza da sociedade brasileira que dependem da agenda positiva do turismo e da correta percepção de que o turismo é um setor estratégico para desenvolvimento socio-economico do pais.

Nota aprovada na 63º Reunião Ordinária do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo – FORNATUR, realizada em Brasília, a 16 de agosto de 2011. Recebida por e-mail da Comissão de Turismo e Desporto/DECOM [ctd.decom@camara.gov.br].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *