Flavio Dino defende novo modelo de gestão para a Embratur

[Por Mercado e Eventos, 24/08/2011]
Depois de abrir sua palestra na reuniao do Conselho de Turismo da CNC citando o ex-presidente Juscelino Kubtitschek, ao afirmar que o Brasil pode realizar 50 anos em 5 no processo de desenvolvimento se souber aproveitar as oportunidades geradas pelos mega eventos, o presidente da Embratur, Flávio Dino, defendeu um novo modelo de gestao do Instituto baseado na parceria público privada. “Já comecei inclusive conversaçoes a respeito deste assunto e vou levar o mesmo a Casa Civil pois um novo modelo nos permitiria maior agilidade e parcerias na obtençao e aplicação de recursos”, adiantou.
O dirigente também falou sobre a crise no Ministério do Turismo e defendeu a punição dos culpados. “Sou um defensor sim do turismo e não daqueles que acabaram procedendo fora da lei desviando recursos de convêncios”, admitiu. Em relaçao a capacitaçao da mão de obra admitiu também que o programa Bem Receber Copa precisa de ajustes de modo a ser um indutor que atinga um maior volume de pessoas no programa de qualificação.
Flavio Dino foi sabatinado por representantes do Conselho. O presidente Alexandre Sampaio, que presidia sua primeira reunião defendeu a inclusão do Senac nos programas de qualificação, enquanto o secretário geral Eraldo Alves fez um histórico do papel do Conselho da CNC. O presidente da Embratur também defendeu a criação de uma Agenda Nacional que atenda aos interesses dos principais atores da industria do turismo. “Sempre fui favorável a uma gestão descentralizada”, afirmou ele.
Depois de fazer um balanço dos números do turismo lembrou que apenas este ano estão previstos 262 eventos pela Embratur e garantiu que o turismo brasileiro terá resultados recordes tanto na chegada de turistas estrangeiros como nos gastos de divisas. “Os resultados obtidos até agora demonstram isso”, afirmou.