Associação francesa de eventos pede que cronograma de reabertura seja respeitado

A UNIMEV, (Union Française des Métiers de l’Événement), associação francesa do setor de eventos, emitiu um comunicado pedindo que o cronograma de reabertura do setor seja respeitado.

A associação cita a declaração de Presidente da República, dada em 31 de março, que evoca meados de maio para iniciar reabertura do setor.

“Hoje, quando muitos países já retomaram atividade (China, Estados Unidos) e outros estão em processo de fazê-lo com um cronograma preciso (Inglaterra, Espanha e Itália), ainda estamos parados na França”, indica.

“É urgente nos apressarmos porque a área está totalmente preparada para reabrir nas melhores condições sanitárias e pronta para garantir a segurança pública”, completa o comunicado.

Encerrados há 14 meses, os eventos profissionais continuam esperando para voltar a funcionar. O encerramento ininterrupto de feiras, conferências e eventos em geral tem consequências econômicas dramáticas para o setor, bem como desmembramentos muito negativo os profissionais do setor.

“Há 3 meses, a UNIMEV vem discutindo um cronograma de reabertura com as várias partes interessadas do governo. O faseamento planejado em 3 estágios deve agora ser confirmado”, exigem.

Cada etapa é espaçada de 3 a 4 semanas com medidores diferentes:

– Fase 1: indicador de 35% para eventos do tipo congresso

– Fase 2: 50% da capacidade para eventos como feiras, shows, congressos-exposições,

– Fase 3: 100% para qualquer tipo de evento

Uma estrutura de saúde foi desenvolvida em conjunto por todas as associações de eventos profissional e transmitido ao Governo no final de 2020.

Desde aquela data, o setor continua em aguardando um retorno ou validação.

“Agora é urgente reiniciar a máquina de eventos antes do verão. O relançamento da máquina de eventos é essencial para sua sobrevivência econômica hoje seriamente ameaçada. Se o cronograma de recuperação e os medidores aceitos não forem confirmados, a confiança de empresas, anunciantes e participantes será seriamente prejudicada.”

 

Sim ao passe de saúde, não à territorialização!

A solução do “passe de saúde” já citado pelo governo é uma solução possível e complementar ao protocolo de saúde, pois a UNIMEV já sugeria que todos os participantes baixem o aplicativo “TousAntiCovid”.

Por outro lado, a menção a uma territorialização da reabertura das atividades encerradas seria uma “má ideia para a nossa indústria”, aponta a UNIMEV.

“A retomada da atividade nos eventos deve ocorrer em junho, cum uma liberação completa das restrições nessas reuniões no início de setembro. No mesmo tempo, o Governo terá de apoiar empresas enfraquecidas, através de medidas de apoio entre reabertura e retomada efetiva, pois o ciclo produtivo de feiras, congressos e eventos envolve diversos meses para começar, principalmente para clientes distantes, que só retornarão aos poucos”, finaliza Oliver Roux, Presidente da UNIMEV.

 

Fonte: Portal Radar