Festuris 2015 traz novidades e busca inovações

[Por Marcado e Eventos, 03/08/2015]
Uma feira que se mantém à frente em um setor que a cada ano se mostra em desaceleração. O Festival do Turismo de Gramado (Festuris) está sempre em busca de inovação e criatividade para continuar a atender o mercado e as expectativas dos agentes de viagem e demais compradores. Marta Rossi, CEO da empresa Rossi & Zorzanello, responsável pela organização do Festuris, conta como a feira conseguiu se manter relevante para o segmento. A executiva ainda fala de novidades e tendências para a edição 2015, que acontece entre 5 e 8 de novembro.
M&E – Neste ano o Festuris completa 27 anos. Como você avalia o posicionamento da feira no mercado?
Marta Rossi – 
Somos uma feira referência na América do Sul, quando o tema é geração de negócios para o setor de viagens e turismo com foco no mercado B2B. O trabalho sério e focado que construímos nestes 27 anos, sempre comprometidos com a excelência nos resultados, nos permitiu conquistar esta credibilidade e o respeito do trade turístico.
M&E – Você acredita que o setor de feiras no Brasil está no caminho certo? Existem muitas, mas a cada ano percebe-se o movimento diminuindo e os expositores optando por outras ações para se manter próximo aos seus clientes.
Marta Rossi – 
Houve um tempo em que o mercado apontou oportunidades para a criação de feiras para o setor, no entanto, observou-se no decorrer dos anos que muitos destes eventos foram criados a partir do sucesso de outros. Não foram pensadas e planejadas a médio e longo prazo. Uma feira contínua, como qualquer outro produto precisa ser reinventada, precisa de investimentos, precisa acompanhar os movimentos do mercado para se reposicionar. O fazer por fazer, ou o fazer apenas de olho nos resultados financeiros, não se encaixa mais no contexto atual. O Festuris sempre investiu muito no seu projeto. Além de apresentar um evento bonito, buscou fazer do espaço realmente uma feira de negócios, com ações estratégicas e direcionadas. Sempre buscando levar para o trade conhecimento, conceitos, vivências. Fomos pioneiros em tratar as questões da segmentação turística ao trazer para o espaço da feira as novas tecnologias e as empresas que entravam fortes no mercado.
M&E – Quais são as novidades dessa edição do Festuris?
Marta Rossi –
 Estamos implantando o salão de destinos gastronômicos, porque hoje a gastronomia é um filão que vem sendo aproveitado cada vez mais para impulsionar o turismo no mundo. O Brasil apresenta uma diversidade de culturas que o equipara, na área, aos maiores destinos internacionais. Pesquisa do Ministério do Turismo aponta a nossa gastronomia como um item com 92 % de satisfação pelos turistas estrangeiros. Este espaço será temático, interativo e terá como uma das atrações a arena gastronômica. Também haverá um significativo aumento das salas de capacitação. O aplicativo do Festuris será aperfeiçoado, ficando mais interativo e funcional. Todas as informações do evento estarão à mão do participante, com programação atualizada em tempo real, notificações em push, e leitor de contatos através do celular. Contratamos ainda uma empresa de pesquisa especializada para medir o volume de negócios gerados na feira, o grau de satisfação dos participantes e dos expositores, e para identificar temas para o congresso do próximo ano.
M&E – Em 2014 foram mais de 14 mil visitantes e 2.500 expositores. Quais são as expectativas para esse ano? Há novos expositores? A feira continua do mesmo tamanho ou cresceu em espaço ocupado?
Marta Rossi – 
Estamos muito satisfeitos com o resultado da feira, diante do quadro econômico pelo qual passa o país. Já estamos com um crescimento na área de expositores 5% maior em relação ao mesmo período do ano passado, embora este não seja o maior objetivo. Buscamos sempre um mix diversificado de expositores, mesmo que com pequenas áreas, mas que por outro lado invista em projetos especiais para saudar os agentes de viagens visitantes e através da imagem, dizer o quanto eles são especiais no seu negócio.
M&E – Uma das razões do sucesso da feira é sua segmentação. Quais são as principais áreas da feira? Das segmentações trabalhadas, quais são as que mais atraem a atenção?
Marta Rossi –
 Conforme mencionamos, uma das novidades será o salão de destinos gastronômicos. Quanto ao interesse, depende muito do movimento do mercado a cada ano. Até pouco tempo o turismo religioso não evoluía, agora é disputado. Da mesma forma a área de tecnologia e serviços para o turismo. Hoje é vedete. Quando implantamos um novo salão, fazemos um projeto de cinco anos para sua evolução, porque como organizadores, também crescemos juntos a partir do momento que vamos conhecendo cada nicho do mercado.
M&E – O Festuris é também bem sucedido na participação internacional. Vocês estão sempre buscando novidades e aprendizado em feiras no exterior. Como esta sendo essa busca?
Marta Rossi –
 Conforme mencionamos acima corremos pelo mundo. Não conseguimos ir a todas as feiras, mas hoje com três diretores e uma equipe de executivos eficientes, conseguimos alcançar um bom número delas. Voltamos sempre enriquecidos, independente do tamanho da feira, porque ao participar de um evento a gente aprende sempre, inclusive o que não deve fazer. Além do conhecimento, ampliamos as relações com o mercado que é o grande patrimônio para quem trabalha na atividade turística. Temos um grande prazer em conhecer pessoas, empresas e ampliar nosso networking.