Setor hoteleiro esclarece sobre tarifas de hospedagem nos grandes eventos

[Por Revista Eventos, 11/06/2013]
Graças a investimentos privados da ordem de 7 bilhões de reais feitos pelo setor, não existe hoje gargalo no parque hoteleiro do Brasil e o país está preparado para hospedar os turistas que assistirão à Copa das Confederações e à Copa do Mundo. Novos hotéis foram construídos pela iniciativa privada, que também se preocupou e arcou com a capacitação e a qualificação da mão de obra.
A hotelaria contribui com o país gerando cerca de um milhão de empregos diretos e indiretos. Para cada R$ 1,00 em circulação no setor, R$ 1,80 são gerados na economia, mesmo em condições macroeconômicas que ainda estão distantes daquelas encontradas em países mais competitivos.
Dentro desse contexto, as entidades ligadas ao setor hoteleiro vêm mais uma vez a público esclarecer a população brasileira acerca dos preços praticados pelos meios de hospedagem no país, mais notadamente durante os grandes eventos que se aproximam. O setor entende que alguns valores que foram recentemente divulgados como praticados por alguns meios de hospedagem não refletem a realidade da média de preços praticados pela maioria dos hoteleiros do país, mesmo dentro de uma realidade de mercado regida pela oferta e procura.
As tarifas hoteleiras praticadas durante os eventos em questão foram comercialmente negociadas pela MATCH Services (empresa oficial da FIFA para assuntos relacionados a acomodações nos campeonatos mundiais de futebol) diretamente com os hotéis selecionados e estão disponíveis para consulta no site da empresa (www.match-ag.com). Elas se encontram dentro de uma margem perfeitamente aceitável e justa, levando em conta o padrão dos hotéis, qualidade dos serviços, localização e a alta demanda gerada pelos próprios eventos. Eventuais distorções podem estar fora desse contexto que engloba grande parte dos empreendimentos hoteleiros envolvidos.
O setor hoteleiro brasileiro certamente estará empenhado em receber com excelência o turista que vier ao país nos grandes eventos. Apenas a qualidade leva à fidelização dos clientes. O segmento seguirá investindo no aperfeiçoamento dos serviços e na sua própria expansão, ciente de que o retorno é uma conquista que se dá no longo prazo e não apenas em oportunidades sazonais.
Assinam esta nota:
FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil
FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação
ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis
Resorts Brasil