Turismo de negócios cresce 20% no Brasil e demanda investimentos

[Por G1, 01/05/2013]
O turismo de negócios cresceu 20% no Brasil no último ano, mas, para especialistas, é preciso investimento para que o setor continue em expansão.
Navegando pela Baía de Guanabara no simulador da Marinha, o equipamento foi apresentado em uma das dezenas de feiras e exposições internacionais que se multiplicam não só no Rio de Janeiro, mas em várias cidades do país.
As feiras trazem novidades e muita gente de fora, de olho nos estandes e, também, na cidade. O Pão de Açúcar no simulador fez sucesso, e os pontos turísticos entraram no roteiro do executivo inglês Peter Edwards, que veio duas vezes ao Brasil só para participar de feiras. Desta vez, diz, gastou entre 100 e 200 dólares em presentes para os sobrinhos.
Outro turista, da Alemanha, o gerente de vendas Tobias Albek veio vender robôs e recebeu uma ordem clara da mulher antes de sair de casa: trazer lembranças de Copacabana. Se não levar, “vou passar uma semana dormindo na sala”, responde.
De acordo com a Embratur, o turismo de negócios no Brasil cresceu 20% em 2012, e segue pelo mesmo caminho em 2013. Só no ano passado, no Rio de Janeiro, os participantes de feiras e exposições deixaram na cidade R$ 430 milhões.
Em 2011, aconteceram 51 feiras no Rio. No ano passado, foram 108. É o efeito da Copa do Mundo e das Olimpíadas, diz Paulo Senise, diretor-executivo do Rio Conventions Bureau, que trabalha para atrair esses grandes eventos.
Essa onda pode ser passageira, porém, se a cidade não se preparar. “Tem que aproveitar esse bom momento e realizar o que falta no Rio de Janeiro, que é, principalmente, infraestrutura: aeroporto, centro de convenções e capacitação profissional, dos profissionais aqui que atendem o setor”, afirma Senise.