O minucioso trabalho nos bastidores de eventos

[Por O Povo, 11/11/2012]
Em celebrações corporativas ou em festas sociais, o organizador de eventos se faz presente em todo o processo produtivo, desde o planejamento até a finalização
Casamentos, festas de formatura, conferências ou feiras de negócios. Independentemente do tipo de evento realizado, sempre existem profissionais nos bastidores que estão de olho em cada detalhe para garantir o sucesso das atividades. Os produtores ou organizadores de eventos são responsáveis por acompanhar todo o processo produtivo de uma celebração – desde o planejamento com os clientes, passando pela assessoria na escolha da decoração e do vestuário, até a finalização e a elaboração de relatórios sobre o que foi executado.
A presidente da seção cearense da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc-CE), Gabrielle Nobre, contabiliza que há pelo menos 47 empresas do ramo no Estado.
A empresária afirma que a profissão exige um trabalho detalhado, que pode durar meses ou mesmo anos. “Em eventos mais complexos, como congressos, conferências, o planejamento pode durar de um ano e meio a dois anos”, explica.
Ela destaca que a quantidade de celebrações de formaturas cresceu “absurdamente” no mercado do Ceará, além dos eventos empresariais. “Hoje já conseguimos receber eventos de grande porte”, pontua.
Mercado e formação
A presidente do Sindicato das Empresas Organizadoras de Eventos e Afins no Ceará (Sindieventos-CE), Circe Jane, aponta que o mercado já é “grande” e está em “expansão”, com a proximidade de eventos como a Copa de 2014. “Temos, pelo menos, 150 eventos já previsto para cá nesses próximos anos”.
Milena Auip, coordenadora do Curso Tecnológico em Eventos da Universidade de Fortaleza (Unifor), ressalta que a criação de equipamentos como o Centro de Eventos foi “um divisor de águas” para o segmento. “Fortaleza passou a ter muita visibilidade, e empresas começaram a se instalar aqui”, relata.
Apesar disso, ela pondera que há uma carência de profissionais capacitados para atuar na área. “Hoje o que falta é gente mais qualificada, que fale uma língua estrangeira e que entenda como funciona a cadeia produtiva de eventos”, avalia. Além da Unifor, cursos tecnológicos e profissionalizantes na área são oferecidos em outras instituições, como no Senac.
EM BAIXA ORGANIZAÇÃO
De acordo com Gabrielle, ainda falta maior organização por parte dos profissionais para conquistar melhorias na área. “Hoje, é todo mundo por si”, afirma
EM ALTA DEMANDA
Segundo Circe Jane, do Sindieventos, há bastante oportunidade de emprego no mercado, principalmente com os
grandes eventos esportivos, como a Copa de 2014
Saiba mais
Guia para Profissionais de Eventos
A Fortaleza Convention & Visitors Bureau, instituição da iniciativa privada responsável por atrair eventos nacionais e internacionais para o Ceará, disponibiliza diversas informações sobre o segmento, como as próximas feiras e congressos a serem realizados e um Guia para Profissionais de Eventos. Confira no site: http://migre.me/bEvw0.