Embratur define estratégia para 2012

[Por Brasil Network, 24/11/2011]
Concentrar as ações de promoção turística do país no exterior em 17 países. Esse é o foco da nova estratégia da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) apresentada nesta quinta-feira (24/11) a secretários estaduais de Turismo, em Brasília.
“Com uma ação menos dispersa, poderemos diversificar os mecanismos de divulgação nesses 17 países, obtendo efeitos mais positivos”, afirmou Flávio Dino, presidente da Embratur. Para ele, os desafios para o próximo ano são grandes já que a entrada de turistas estrangeiros no país deve bater recorde em 2011. “E, com certeza, vamos continuar trabalhando para seguir batendo recordes e chegar mais rápido a nossa meta de 10 milhões de turistas”.
Ainda de acordo com Dino, a definição dos mercados prioritários atendeu a alguns critérios pré-estabelecidos, como o histórico do número de turistas enviados ao Brasil, a disponibilidade aérea e as fronteiras terrestres. A corrente de comércio e o PIB per capita também influenciaram na seleção. “Um dos fatores decisivos para atuação da Embratur em 2012 foi a participação do Brasil no emissivo de turistas estrangeiros que vem para a América do Sul”, afirma.
Seguindo esse conceito, entram no grupo dos países prioritários alguns mercados sul-americanos com boa margem para crescimento, como é o caso de Bolívia e Colômbia. Dos 600 mil bolivianos que viajaram ao exterior em 2009, 82% foram para a América do Sul. Mas, desse grupo, apenas 20% visitaram o Brasil. A Colômbia está na mesma situação. Do 1,8 milhão de colombianos que viajaram ao exterior, um terço procurou a América do Sul. Mas, desse público, apenas 13% veio ao Brasil. “Temos boas chances de aumentar a recepção desses mercados. Principalmente porque, como há um emissivo maior do Brasil para esses países, há disponibilidade de acentos no retorno”.
Na América do Norte dois novos países se tornam prioritários. O México entra para a lista por seu alto número de turistas que viajam ao exterior, que corresponde a 14,8 milhões. A quantidade de vôos diretos, que são 16 por semana, também influenciou na definição desse mercado como prioritário. “O México tem ainda um diferencial que é a predileção pelo segmento de esportes, o que faz com que esse mercado possa ser, a longo prazo, um dos maiores emissores de turistas ao Brasil no período da Copa do Mundo FIFA 2014”, acrescenta Dino.
O Canadá é o outro país norte-americano que entra para o grupo dos que serão alvo da promoção internacional. “O gasto dos turistas canadenses é alto e a permanência no Brasil chega a 23 dias”, ressalta o Presidente. Também é destaque neste mercado o emissivo de turistas, que alcançou 25 milhões em 2009.
O restante dos países se mantiveram no grupo, principalmente pela representatividade no mercado mundial e pelo registro da entrada desses turistas no Brasil. Com relação aos mercados asiáticos, a atuação será mantida, mesmo que eles não estejam entre o grupo dos prioritários, porém as ações serão realizadas em parceria com os países do Mercosul. Os 17 mercados prioritários são: Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru, Uruguai, Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália, Holanda, Portugal, Canadá, Bolivia e México.
Participação em feiras
A presença da Embratur em feiras internacionais, assim como a lista de mercados, também terá modificações em 2012. Já está confirmada a presença em 23 feiras, metade das 46 em que o Instituto esteve presente em 2011. Segundo Dino a forma de atuação em alguns mercados será modificada, mas isso não implicará na ausência de promoção turística do Brasil. “Os nossos países alvo tem perfis diferenciados, precisamos olhar caso a caso para definir o melhor plano de ação, isso implica em algumas mudanças”, explica.
A lista dos eventos que terão a participação da Embratur em 2012 está disponível no blog aquarela2020.wordpress.com.

2 thoughts on “Embratur define estratégia para 2012”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *