Pequenas empresas já identificam oportunidades com a Copa

[Por Sebrae, 12/09/2011]
São Paulo – O empresário José Paschoal, da empresa Núcleo Base Informática, de Presidente Prudente (oeste de São Paulo), está interessado nas oportunidades de novos negócios que irão surgir com a Copa do Mundo de 2014.
Nesta segunda-feira (12), ele era um dos mais atentos ao seminário sobre o Mapa de Oportunidades de Negócios para Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede (São Paulo), que foi apresentado no Museu do Futebol. Segundo o estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para o Sebrae, foram identificadas 456 oportunidades em São Paulo.
“Trabalhamos com software de gestão e nossa perspectiva é crescer em 20% ou até 30% com os novos negócios que vamos prospectar em função da Copa”, disse Paschoal, que está de olho nas empresas de call center. “Já identificamos essa demanda e vamos projetar nossos investimentos para atender as empresas de call center”.
O empresário está no caminho certo. O estudo mapeou nove setores de atuação: construção civil, tecnologia da informação, madeira e móveis, têxtil e vestuário, turismo, produção associação ao turismo, comércio varejista, agronegócios e serviços. E o destaque no estado fica por conta da tecnologia da informação, na qual foram identificadas 80 oportunidades de negócios.
Para atender essas empresas, Paschoal fez uma parceria com o empresário Claudio Peruchi, da HG Informática, que desenvolve e implanta soluções de call center e telecomunicações. “Enquanto o Paschoal oferecerá sua solução de gestão eu entrarei com o desenvolvimento do call center”, diz Peruchi.
Móveis
Outro que também que estava atento às oportunidades é o empresário Pedro Rodrigues, de São José do Rio Preto (região norte do estado). Fabricante de móveis para quartos há 35 anos, Rodrigues identificou uma demanda do setor hoteleiro.
“Vir de Rio Preto até São Paulo para participar deste seminário é o pontapé para começar a buscar novos negócios no setor de hotéis, cama e café e pousadas”, disse. Ele acredita também que irá vender mais no ano da Copa. “Se a economia continuar a se desenvolver, em 2014, com a empolgação da Copa do Mundo, acho que vamos aumentar as nossas vendas”.
O empresário ainda disse que irá procurar os locais onde estarão hospedadas as delegações. “Podemos oferecer camas e armários a preços muito competitivos”.
Para o consultor do Sebrae em São Paulo, Herbert Pelegrini, os empresários de móveis do estado já estão fazendo parcerias com incorporadoras de imóveis para a produção de showrooms.
“Aos poucos eles estão explorando novos nichos de mercado. Por isso, acredito que o trabalho que o Sebrae vem desenvolvendo com este setor irá facilitar a compreensão das oportunidades oferecidas pela Copa”, disse Pelegrini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *